05:10 26 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Análise
    URL curta
    0 10
    Nos siga no

    A Sputnik Brasil conversou com a fisioterapeuta Stephanie Robinson para entender quais são as precauções que devemos tomar com o nosso corpo e a nossa saúde durante a quarentena.

    Sputnik: Boa tarde, Stephanie. Nós sabemos que a Organização Mundial da Saúde (OMS) está pedindo atenção especial para as atividades físicas durante o período da quarentena. Por que a OMS considera isso tão importante?

    Stephanie Robinson: O que a OMS está preconizando é que as pessoas mantenham a atividade física durante o isolamento. Atividade física não significa exercício físico, exercício aeróbico ou praticar algum esporte. A atividade física que a OMS se refere – e isso está bem explicado no site da organização – é que as pessoas se mantenham ativas. A OMS inclusive segmenta por idade quanto tempo e qual a recomendação semanal para cada faixa etária. Manter-se ativo, claro, inclui fazer atividades moderadas, ou até de intensidades mais elevadas, mas isso não significa se sentar em um colchonete e fazer 500 abdominais. Até porque há muitas pessoas que não têm o hábito de praticar atividades físicas.

    Quando podemos sair de casa, a gente acaba caminhando bastante sem perceber: vamos até o supermercado, caminhamos dentro dos lugares que a gente vai, a gente tem uma vida muito mais ativa do que achamos, e não ficamos o dia inteiro sentados olhando rede social, no computador, trabalhando ou vendo TV.  

    Fisioterapeuta Stephanie Robinson atende paciente em São Paulo
    © Foto / Stephanie Robinson
    Fisioterapeuta Stephanie Robinson atende paciente em São Paulo

    É importantíssimo realizar atividades tanto para a saúde física quanto para a saúde mental. A inatividade, o isolamento social levam ao aumento de um hormônio que se chama cortisol, que é o hormônio do estresse. Esse hormônio tem um impacto negativo na nossa resposta imunológica. Manter-se ativo também é importante para evitar a liberação desse hormônio em excesso. Além disso, a atividade física é importante para a prevenção de uma série de doenças crônicas, como diabetes, obesidade e doenças cardíacas e respiratórias.

    aumento do cortisol não é só por conta do isolamento: é só assistir a meia hora de jornal na televisão que ficamos com taquicardia. E aí você libera mais cortisol. E quando o cortisol está aumentado, a capacidade das nossas células de defesa de se multiplicarem e atacarem um agente infeccioso, ela é reduzida.

    Garotas se exercitando durante quarentena em Medellín, Colômbia
    © AFP 2020 / Joaquin Sarmiento
    Garotas se exercitando durante quarentena em Medellín, Colômbia.

    O American College of Sports Medicine preconiza que você faça exercícios durante o isolamento. Mas, nesse caso, o ideal é que a pessoa tenha um profissional que já te conheça orientando, alguem que conheça suas condições de saúde, já te acompanhe.

    S: Quem não pratica atividades físicas, deve começar a praticar durante a quarentena?

    SR: Se você não está acostumado a fazer atividades físicas você deve se manter ativo dentro das atividades domésticas. Limpar a casa, lavar a louça, se manter em pé e andar. Até mesmo caminhar dentro de casa. Começamos com cinco minutos por dia e aumentamos gradualmente, até chegar em 30 minutos.

    Mas um ponto muitíssimo importante, e que pouca gente fala: na presença de qualquer sintoma de gripe, resfriado, de infecção urinária ou qualquer agente infeccioso, você não deve fazer atividade física, mas sim descansar. Até mesmo se você está simplesmente se sentindo muito cansado, exausto. Nesse caso, você não deve praticar atividade física. 

    O American College of Sports Medicine também defende que o exercício físico pode melhorar a reposta imunológica do organismo. Principalmente durante o exercício aeróbico, aquele exercício no qual você movimenta grandes músculos, ele vai fazer com que as nossas células de defesa circulem por todo o corpo, chegando a regiões que até às vezes a circulação não é tão boa. Esse efeito fará com que as células de defesa atinjam todas as regiões do corpo e tenham uma resposta imunológica melhor. Então a manutenção da atividade física frequente vai te ajudar nessa resposta imunológica e na diminuição dos níveis de de cortisol.

    Participantes do projeto Yoga em Parques durante o treino em um parque de Moscou, Rússia
    © Sputnik / Vladimir Pesnya
    Participantes do projeto "Yoga em Parques" durante o treino em um parque de Moscou, Rússia

    Recomendo também a realização de exercícios respiratórios, frequentes em práticas como o yoga ou o Tai Chi Chuan, que faz parte da medicina tradicional chinesa. Esses exercícios são importantes também para aumentar a capacidade pulmonar, fazendo com que abra regiões do pulmão que normalmente encontram-se fechadas quando a gente faz as respiração basal, essa respiraçãozinha curta do dia a dia, e elimine também agentes infectocontagiosos que podem estar nessas regiões. Então respirar fundo e praticar exercícios respiratórios também é muito importante.

    Os exercícios respiratórios, além de melhorarem a nossa capacidade respiratória, podem ainda melhorar as trocas gasosas no organismo como um todo, fazendo com que o seu organismo funcione melhor, as células vão receber um melhor aporte de oxigênio. Está provado que esses exercícios tem grandes benefícios para a saúde e para a imunidade. Os exercícios respiratórios ajudam bastante também a reduzir fatores de estresse, como o cortisol.

    S: Muitas pessoas, ouvindo as recomendações para se manterem ativas, recorrem à Internet para encontrar materiais, vídeos no YouTube, para poderem se movimentar. É arriscado fazer isso? Você tem algum conselho para quem está procurando alguma fonte de atividade física na Internet para poder se manter saudável?

    SR: Eu acho que você começar qualquer atividade física sem orientação profissional adequada, sem uma pessoa que esteja te vendo, conheça seu histórico de saúde e suas limitações, que veja você no momento em que você está praticando, é um pouco complicado. Então o ideal é começar com coisas simples, do dia a dia, coisas que você já está acostumado a fazer.

    Aulas de ballet dentro de casa durante a quarentena no Brooklyn, EUA
    © REUTERS / Caitlin Ochs
    Aulas de ballet dentro de casa durante a quarentena no Brooklyn, EUA

    Mas se o intuito é fazer exercício físico, então o ideal é procurar alguma atividade que você já faça. Na Internet tem de tudo, desde aula de balé – minha mãe está fazendo aula de balé pela televisão – até aulas de pilates, de aeróbica.

    Se você não está acostumado, o meu conselho é fazer aquilo que você já fazia antes, mas não percebia: a caminhada. Um apartamento de 50 m² é o suficiente, só precisa de um relógio para cronometrar. Você pode começar fazendo cinco minutos, e vai aumentando progressivamente, até chegar aos 30 minutos. Então o ideal é repetir pelo menos 3 vezes por semana esses 30 minutos.

    Mas aconselho fazer exercícios junto com o marido, com a mãe,  porque isso também vai ser uma maneira de descontrair um pouco o ambiente. A gente sabe que essa convivência intensa, 24 horas, também aumenta os fatores de estresse no organismo, aí como eu já falei isso não vai fazer nem um pouco bem para a imunidade. Podemos descontrair e dar muita risada. 

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    Google divulga dados para demonstrar efetividade de quarentena em 131 países
    Quarentena na 3ª idade: qual o perigo do isolamento social para idosos?
    Cientistas do Ártico russo aconselham como conviver em quarentena
    Tags:
    COVID-19, quarentena, esporte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar