05:59 15 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Análise
    URL curta
    10222
    Nos siga no

    Um conflito sério com um adversário forte influenciaria negativamente a campanha eleitoral do presidente dos EUA, Donald Trump, e é por isso que o país não vai iniciar uma guerra, diz especialista militar.

    De acordo com o ex-chefe do Departamento de Acordos Internacionais do Ministério da Defesa da Rússia, tenente-general Yevgeny Buzhinsky, os EUA não vão iniciar uma guerra em uma perspectiva próxima por razões de política interna.

    "Um ataque de resposta significaria uma grande guerra no golfo Pérsico, mas um agravamento na região agora não é vantajoso para ninguém. Especialmente para Trump em vésperas das eleições presidenciais. Um embate com as poderosas Forças Armadas do Irã resultaria em perdas entre os militares estadunidenses, e esse seria um cenário muito mau para a campanha eleitoral", explicou Yevgeny Buzhinsky.

    Segundo o tenente-general, nos tempos mais próximos a situação não vai mudar muito.

    "Os norte-americanos vão pressionar Teerã com sanções econômicas. O Irã vai agir em resposta em duas direções: forçar os norte-americanos a sair do Iraque com métodos diplomáticos e desenvolver seu programa nuclear a um ritmo acelerado", adicionou Buzhinsky.

    As relações entre os EUA e o Irã se agravaram após a morte do general iraniano Qassem Soleimani em resultado de uma operação especial dos EUA. Em resposta, o Irã lançou mísseis contra duas bases militares no Iraque que abrigam tropas estadunidenses. Após o ataque iraniano, o presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou que os EUA não querem usar o seu poder militar e se limitarão a aplicar novas sanções.

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    Terrorismo, fogo antiaéreo e explosão de motor são versões ucranianas da queda de avião no Irã
    Embaixador do Irã na ONU esclarece por que é 'impossível' cooperar com EUA
    Irã 'calibrou' ataques para causar mínimo dano possível aos EUA, segundo jornal
    Tags:
    Donald Trump, sanções, ataques, EUA, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar