11:48 12 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Caça multifuncional russo Su-30

    Especialista: se caças russos tivessem atacado, nada teria restado dos navios ucranianos

    © Sputnik / Vitaliy Ankov
    Análise
    URL curta
    Violação da fronteira russa por navios ucranianos (53)
    9303

    O chefe do Estado-Maior das Forças Armadas da Ucrânia, general Viktor Muzhenko, acusou a Rússia de ter usado não só a força naval contra os navios ucranianos no estreito de Kerch, mas também a aviação. Nessa conexão, um especialista militar russo explica por que essas declarações carecem de fundamento.

    De acordo com o general Viktor Muzhenko, os navios ucranianos no estreito de Kerch foram atacados pela aviação russa, que alegadamente teria disparado mísseis contra eles.

    Em particular, Muzhenko declarou durante seu discurso no parlamento ucraniano, citado pelo portal ucraniano UNN, que um caça russo Su-30 disparou dois mísseis contra as tripulações ucranianas.

    "Hoje recebemos informações adicionais de que, durante o ataque aos navios ucranianos, também foi usada a aviação russa. Um Su-30 efetuou o lançamento de dois mísseis", afirmou o general.

    Como resultado do ataque russo com o uso de armas, o Comando da Marinha da Ucrânia perdeu o contato com o grupo naval, assegurou o general. O sistema de identificação automática (Automatic Identification System, AIS, na sigla em inglês) também foi bloqueado.

    "Essas ações são um ato de agressão direta da Federação da Rússia contra a Ucrânia, visto que os navios são território soberano do Estado a que pertencem", destacou.

    Ao falar sobre as declarações do chefe do Estado-Maior das Forças Armadas da Ucrânia, em comentário ao jornal Izvestia, o especialista militar russo Igor Korotchenko avaliou as palavras do militar ucraniano.

    "É uma estupidez completa, pois se um Su-30 tivesse lançado um míssil antinavio, nada teria restado deste navio ucraniano. Os três navios da Marinha da Ucrânia chegaram [ao porto de] Kerch por si próprios, sob proteção da Guarda Costeira do FSB [Serviço Federal de Segurança], e atracaram lá, não houve nenhuns lançamentos de mísseis", indicou o especialista.

    Além disso, ele ressaltou que os mísseis antinavio do caça Su-30 podem afundar um destróier, quanto mais uma pequena embarcação, e é essa a razão pela qual ele descartou as declarações do general ucraniano.

    "Isso é mentira e uma provocação consciente, ou incompetência dos generais ucranianos", acrescentou Korotchenko.

    Os navios da Marinha ucraniana Berdyansk, Nikopol e Yany Kapu detidos pela guarda fronteiriça da Rússia após terem violado a fronteira
    © Sputnik / Assessoria de imprensa da guarda fronteiriça do Serviço Federal de Segurança da Rússia na Crimeia
    Em 25 de novembro três navios da Marinha ucraniana, Berdyansk, Nikopol e Yany Kapu, cruzaram a fronteira marítima da Rússia, violando assim o direito internacional e a soberania do país. As embarcações entraram em águas temporariamente encerradas e realizaram manobras perigosas durante várias horas sem reagir às exigências da Guarda Costeira russa de parar sua atividade.

    Como resultado, todos os navios ucranianos foram detidos. No decurso do incidente, três militares ucranianos ficaram levemente feridos. Não obstante, eles receberam assistência médica e não correm risco de vida.

    Na sequência, a Rússia abriu um processo criminal por violação da fronteira.

    Tema:
    Violação da fronteira russa por navios ucranianos (53)

    Mais:

    EUA pedem que Putin e Poroshenko resolvam diretamente tensões entre Rússia e Ucrânia
    Estados Unidos 'desenham' cenário de confronto para Ucrânia, diz senador russo
    Introdução da lei marcial na Ucrânia não faz sentido, afirma especialista militar russo
    Tags:
    ataques aéreos, navios, violação, direito internacional, fronteira, Forças Armadas da Ucrânia, Serviço Federal de Segurança (FSB), Viktor Muzhenko, Igor Korotchenko, Estreito de Kerch, Ucrânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik