Oficial russo: marinheiros ucranianos se tornaram peões no jogo político de Poroshenko

© Sputnik / Assessoria de imprensa da guarda fronteiriça do Serviço Federal de Segurança da Rússia na Crimeia / Abrir o banco de imagensOs navios da Marinha ucraniana Berdyansk, Nikopol e Yany Kapu detidos pela guarda fronteiriça da Rússia após terem violado a fronteira
Os navios da Marinha ucraniana Berdyansk, Nikopol e Yany Kapu detidos pela guarda fronteiriça da Rússia após terem violado a fronteira - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O secretário do Conselho de Segurança da Rússia, Nikolai Patrushvev, comentou a violação da fronteira russa pelos navios ucranianos dizendo que os marinheiros se tornaram peões no jogo político do presidente Pyotr Poroshenko.

Segundo Patrushev, o incidente mostra que o líder ucraniano está pronto a fazer tudo para se manter no poder.

"Os marinheiros ucranianos viraram peões no jogo político do presidente [Pyotr] Poroshenko e seus aliados, que estão prontos a cometer quaisquer crimes para aumentar suas chances de ficar no poder. Como se sabe, na situação atual, estas chances são poucas", afirmou o general e político, Nikolai Patrushev.

Caça-minas Kovrovets (à esquerda) e Ivan Golubets durante o Dia da Marinha da Rússia em Sevastopol, Crimeia - Sputnik Brasil
Consequências serão duras em caso de quaisquer provocações, assegura deputado da Crimeia
Para o político russo, a provocação no estreito de Kerch na véspera das eleições ucranianas prova que Poroshenko pretende basear sua campanha eleitoral "em ameaças inventadas".

"Com a lei marcial aprovada e os direitos e liberdades dos cidadãos ucranianos parcialmente limitados, é possível que [Poroshenko] cancele as eleições presidenciais sob o pretexto de defender a Ucrânia", ressaltou.

Patrushev sublinhou que, ao cruzar a fronteira russa, os navios ucranianos violaram gravemente a lei internacional e que suas ações parecem uma "provocação planejada", acrescentando que as ações de Kiev viraram uma constante fonte de ameaças.

Na tarde da segunda-feira (26), o parlamento ucraniano aprovou a introdução da lei marcial de 30 dias no país depois do incidente no estreito de Kerch. Mais cedo, foi anunciado que a Ucrânia tinha posto seu exército em alerta para o combate. A decisão foi tomada após o incidente com três navios ucranianos no estreito de Kerch.

Navios ucranianos violam fronteiras russas 

Maria Zakharova, representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, durante uma coletiva em Moscou - Sputnik Brasil
Medidas duras de segurança foram tomadas pela Rússia após ameaças ucranianas, diz MRE
Em 25 de novembro, três navios da Marinha ucraniana, Berdyansk, Nikopol e Yany Kapu, violando os artigos 19 e 21 da Convenção da ONU sobre direito marítimo, atravessaram a fronteira da Rússia e realizaram manobras perigosas durante várias horas sem reagir às exigências das embarcações russas que os acompanhavam.

Foi tomada a decisão de usar armas. Todos os navios ucranianos foram detidos aproximadamente a 20 km da costa russa e a 50 km do local habitual de passagem dos navios no estreito de Kerch por baixo da Ponte da Crimeia.

Durante o incidente, três militares ucranianos ficaram levemente feridos. Eles receberam assistência médica e não correm risco de vida. A Rússia abriu um processo criminal por violação da fronteira.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала