09:54 15 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Vista de Teerã

    Especialista: razão das contradições entre EUA e Irã é que Ocidente 'passou dos limites'

    © Fotolia/ Borna_Mir
    Opinião
    URL curta
    250

    Teerã declarou que o Irã pode sair do acordo nuclear nas próximas horas se os EUA continuarem a ampliar as sanções unilaterais. O especialista Stanislav Khatuntsev comenta essa situação.

    O presidente iraniano, Hassan Rouhani, afirmou na terça-feira (15) que seu país poderá se retirar do denominado Plano de Ação Conjunto Global se os EUA continuarem ampliando as sanções contra Teerã.

    O historiador e escritor Stanislav Khatuntsev disse ao serviço russo da Rádio Sputnik que, para os adversários do Irã nos EUA, não importa se Teerã respeita ou não os acordos assinados. 

    "O Irã está seguindo claramente o acordo nuclear, assinado durante a presidência de Barack Obama. Mas nos EUA hoje em dia estão ressurgindo forças políticas muito influentes que se opõem violentamente ao Irã, o que causa este conflito", explicou o especialista.

    Segundo ele, essas ações de Washington estão gerando descrença na possibilidade de lidar com as contradições através dos meios diplomáticos tradicionais.

    "O Ocidente em geral, incluindo os EUA, há muito tempo que 'passou dos limites' e faz o que quer na arena política internacional. Não importa que tenham sido assinados acordos e que a segunda parte os respeite […]. Se Washington precisa de um certo país, esse país pode fazer tudo o que quiser – limitar não só a liberdade de expressão, mas também quaisquer liberdades democráticas, governar de forma totalitária, cortar cabeças – e apesar disso será aliado e amigo dos EUA. Caso contrário, eles vão chateá-lo a cada passo, até o eliminar, se conseguirem, como foi na Iugoslávia", comentou Khatuntsev.

    Mais:

    EUA: lançamento de satélite no Irã viola a Resolução da ONU
    Senadores dos EUA chegam a acordo quanto a sanções à Rússia, Irã e Coreia do Norte
    Mídia: Irã e Coreia do Norte se preparam para novos lançamentos de mísseis
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik