01:22 02 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Análise
    URL curta
    Turquia abate bombardeiro russo na Síria (115)
    22402
    Nos siga no

    França e Alemanha não oferecerão apoio aberto à Turquia no incidente com o Su-24 russo, temendo escalação das tensões com a Rússia, o que pode ameaçar a criação de uma ampla coalizão contra o Estado Islâmico, disse à agência Sputnik o parlamentar austríaco Johannes Hubner.

    Após a derrubada da aeronave russa Su-24 pelas Forças Aéreas da Turquia na Síria, o ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Frank-Walter Steinmeir, pediu cautela a Moscou e Ancara, destacando que o incidente não refletirá nas negociações sobre a crise síria. Por sua vez, o premier francês, Manuel Valls, declarou que o incidente demonstrou a necessidade de coordenação do combate ao Estado Islâmico.

    “Muitos parceiros [da Turquia] na OTAN, principalmente a França, mas a Alemanha também, se encontrarão em uma posição delicada. Elas não tomarão, de modo aberto, o partido da Turquia, pois não querem piorar as relações com a Rússia para depois terem de dizer aos seus cidadãos que colaboraram para o desmantelamento da coalizão contra o Estado Islâmico. Para a França isso será particularmente difícil”, disso o deputado austríaco. Ele adicionou que a Turquia não tinha nenhum motivo lógico para abater a aeronave russa, mesmo se esta violou por um curto período de tempo o espaço aéreo turco.  

    Na terça-feira (24) uma aeronave russa Su-24 foi derrubada por um míssil ar-ar turco em espaço aéreo sírio, caindo a quatro quilômetros da fronteira com a Turquia. O Ministério da Defesa russo garante ter provas objetivas de que em nenhum momento da missão a aeronave chegou a cruzar o espaço aéreo da Turquia. A Turquia afirma que a aeronave russa invadiu o seu espaço aéreo

    A França faz parte da coalizão formada por 65 países que realizam ataques aéreos às posições do Estado Islâmico no Iraque e na Síria. Esta coalizão atua na Síria sem a autorização do governo local. Paris iniciou bombardeios mais intensos na Síria e enviou um porta-aviões para a região após uma série de atos terroristas na capital francesa em 13 de novembro, que deixaram 130 mortos e mais de 350 feridos.

    O presidente francês, François Hollande, encontrou-se com o presidente russo, Vladimir Putin, nesta quinta-feira, em Moscou, para discutir esforços antiterrorismo, com atenções voltadas principalmente para a coordenação de atividades internacionais contra o Estado Islâmico. Segundo Hollande, França e Rússia decidiram compartilhar inteligência para lutar contra militantes do Estado Islâmico. O presidente francês declarou que a Rússia representa um dos mais importantes papéis do processo político por paz na Síria.

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Tema:
    Turquia abate bombardeiro russo na Síria (115)

    Mais:

    Putin: os EUA sabiam a rota do Su-24 derrubado
    Gravação dos supostos alertas turcos ao Su-24 é montagem, afirma Moscou
    Turquia não pedirá desculpas à Rússia por incidente do Su-24
    ‘Turquia deve dar passos para regularizar situação com Su-24’
    Tags:
    Su-24, Estado Islâmico, OTAN, Vladimir Putin, François Hollande, Johannes Hubner, Manuel Valls, Frank-Walter Steinmeier, França, Alemanha, Turquia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar