08:17 01 Março 2021
Ouvir Rádio
    Mundo insólito
    URL curta
    140
    Nos siga no

    Nathan Cummings, da cidade de Blackpool, Reino Unido, recuperou milagrosamente depois de ter estado à beira da morte por várias vezes ao longo de um ano.

    O jovem de 24 anos sofreu de câncer cerebral, duas vezes de sepse (um conjunto de manifestações graves em todo o organismo produzidas por uma infecção) e duas vezes de meningite, e, após tudo isso, contraiu COVID-19.

    Tudo começou em outubro de 2019, quando ele desmaiou no trabalho e foi levado para um hospital onde foi descoberto um tumor maligno no cérebro do tamanho de uma bola de pingue-pongue. Em seguida, ele foi submetido a uma cirurgia e os médicos conseguiram remover 95% do tumor.

    Os médicos avisaram a família que, devido à profundidade e tamanho do tumor, mesmo que sobrevivesse à cirurgia, o jovem provavelmente ficaria paralisado e perderia a fala. No entanto, para surpresa dos médicos, ele já conseguia andar dois dias após a operação.

    Pouco depois da intervenção cirúrgica, em 30 de dezembro do mesmo ano, Nathan quase morreu de meningite e, entre janeiro e março de 2020, sofreu de sepse por duas vezes.

    Em janeiro deste ano, o jovem voltou a ter meningite, uma semana antes de contrair COVID-19.

    Após passar por 30 radioterapias, cinco dias por semana, e duas quimioterapias, agora ele deve ser submetido a exames de três em três meses para verificar se o tumor não reapareceu, escreve o Daily Star.

    "Tem sido um verdadeiro ano infernal, lutando contra o câncer, a quimioterapia, a meningite e a sepse", disse.

    Nathan não entende por que tem sofrido tantas doenças, mas insta as pessoas a "nunca desistirem".

    Mais:

    Bactéria letal recém-descoberta em chimpanzés pode ser transmitida aos humanos, sugere estudo
    Cientistas nomeiam mais uma vitamina cujo déficit é ligado à forma grave da COVID-19
    Ameaça subestimada: quais vírus podem vir a provocar próxima pandemia?
    Tags:
    COVID-19, tumor, meningite, Reino Unido, doenças graves, novo coronavírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar