04:58 30 Julho 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    8382
    Nos siga no

    O mais recente escândalo de espionagem e roubo de dados foi revelado em investigações feitas pela ONG Forbidden Stories e pelo grupo de direitos humanos Anistia Internacional.

    O ex-administrador de sistemas da Agência de Segurança Nacional (NSA, na sigla em inglês) dos EUA, Edward Snowden, afirmou que as revelações que o grupo NSO, através do software Pegasus, espionou milhares de jornalistas, ativistas, empresários e políticos em todo o mundo é "a história do ano".

    ​Pare o que você está fazendo e leia isto. Este vazamento vai ser a história do ano

    De acordo com uma investigação que envolveu 17 meios de comunicação dos EUA, Reino Unido, França, Alemanha e outros países, o software Pegasus, um malware legal vendido a governos para ser utilizado para investigação de grupos terroristas e crime organizado, foi usado para invadir smartphones que pertenciam a ativistas de direitos humanos e advogados, jornalistas e até dois mulheres que eram próximas do jornalista Jamal Khashoggi, assassinado no consulado saudita em Istambul em outubro de 2018.

    Segundo o jornal The Guardian, no Azerbaijão, vários ativistas aparecem nos dados. Na Índia, consta o nome de Rahul Gandhi, o principal adversário político do primeiro-ministro Narendra Modi.

    Enquanto isso, o grupo NSO já descartou as informações veiculadas pelas mídias como "teorias não corroboradas", ao mesmo tempo em que lançou dúvidas sobre a confiabilidade das fontes da investigação.

    Brasil e Pegasus

    Em maio, uma reportagem do portal UOL afirmou que o vereador carioca Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), teria participado de negociações para que a NSO Group participasse de uma licitação do Ministério da Justiça para compra do sistema.

    ​Segundo a mídia, a iniciativa de Carlos Bolsonaro teria gerado insatisfação em militares do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e da Agência Nacional de Inteligência (Abin). Na ocasião, o vereador carioca negou que tivesse articulado qualquer negociação.

    Mais:

    PF prende hacker suspeito de vazar dados de mais de 200 milhões de brasileiros
    Novo método de hackear contas do WhatsApp é descoberto no Reino Unido
    Após ataque hacker, preço da gasolina nos EUA tem maior valor desde 2014
    Grupo com supostos laços com China hackeou empresa de transporte público de Nova York, diz mídia
    Tags:
    Grupo NSO, Brasil, Israel, malware, jornalistas, jornalista, jornalista, cibersegurança
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar