15:07 03 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    3436
    Nos siga no

    As informações da mídia quanto ao número dos militares russos mortos na Síria são parte de uma campanha propositada que visa desinformar o público sobre a presença russa no país árabe, opina especialista ao serviço russo da Rádio Sputnik.

    Recentemente, a Reuters noticiou sobre o aumento dos soldados russos mortos na Síria em 2017 que, segundo a agência, atingiria 40.

    O Ministério da Defesa da Rússia, por sua parte, desmentiu a informação publicada pela agência britânica.

    O porta-voz do ministério, Igor Konashenkov, afirmou que tais notícias não são novas e que visam difamar a operação russa na Síria contra o grupo terrorista Daesh (proibido na Rússia).

    Ele acrescentou também que tem havido tentativas repetidas de impor "o mito sobre a existência de ‘militares contratados' de uma organização 'secreta' que teriam sido mortos".

    "Tais tentativas são uma mentira completa", declarou Konashenkov.

    De acordo com Vladimir Kozin, especialista militar russo e professor da Academia de Ciências Militares, a recente notícia da Reuters é uma propositada tentativa de desinformação.

    "A parte russa informou sobre suas perdas na Síria, admitindo honestamente que tais perdas tiveram lugar. Alguns foram mortos pelos bombardeamentos dos terroristas. Um piloto foi morto após um caça turco ter abatido nosso avião. Para além disso, um soldado russo foi morto quando ele provocou fogo amigo de propósito para matar mais terroristas. Baixas em combates e incidentes trágicos são inevitáveis em uma operação militar", disse Kozin em uma entrevista para o serviço russo da Rádio Sputnik.

    De acordo com o especialista, o objetivo destas informações da mídia britânica é claro.

    "Tem por objetivo enfraquecer o moral [do pessoal russo na Síria] e destruir as bases da presença militar da Rússia na Síria. Visa também provocar o descontentamento [pela operação militar russa na Síria], comentou.

    No entanto, de acordo com Vladimir Kozin, é duvidoso que tais medidas deem certo.

    "Queria frisar que, ao invés da coalizão ocidental, a Força Aeroespacial da Rússia tem alcançado avanços significativos no combate ao terrorismo na Síria. A luta contra os terroristas continuará. Mas já agora podemos ver que o plano dos terroristas de se expandir para fora da Síria, inclusive em direção da Rússia, fracassou", concluiu.

    Mais cedo, o Kremlin comentou a informação da Reuters, afirmando que o Ministério da Defesa russo é a única fonte de informações oficiais sobre as baixas do exército russo na Síria.

    Mais:

    EUA prometem continuar trabalhando com Rússia para acabar com violência na Síria
    Chancelaria síria pede que ONU condene assassinato de civis por coalização internacional
    Tags:
    notícias falsas, baixas, conflito armado, Ministério da Defesa Russo, Kremlin, Reuters, Igor Konashenkov, Grã-Bretanha, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar