07:15 16 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    As tropas pró-governos sírias mantêm uma posição no bairro de Karm al-Jabal, no leste de Aleppo.

    Fonte na Síria revela plano de retirada dos terroristas e seus familiares de Aleppo

    © AFP 2017/ George Ourfalian
    Mundo
    URL curta
    Crônicas de Aleppo libertada (64)
    314

    Acordo alcançado prevê que os terroristas e suas famílias irão se retirar da cidade síria de Aleppo através do ponto de controle da região da Ramus em direção ao oeste.

    Segundo informação de uma fonte da sede de operação em Aleppo à RIA Novosti, os ônibus para a evacuação já estão prontos para levá-los.

    Foi relatado também que a retirada dos combatentes e seus familiares vai acontecer muito em breve. 

    "Não há combates. Agora estamos acordando os detalhes. Segundo o acordo, os terroristas e seus familiares irão através do ponto de controle de Ramus na direção ocidental. Os ônibus já estão prontos", diz a fonte. 

    O exército sírio realizou durante as últimas semanas uma ampla ofensiva nos bairros orientais de Aleppo, controlados por grupos terroristas. Segundo o Centro Russo para Conciliação na Síria, Damasco está controlando mais de 98% do território de Aleppo.

    O enviado especial da ONU para Síria, Staffan de Mistura, anunciou que os grupos de oposição armadas controlam “no máximo, 4 a 5 quilômetros quadrados”. Ele também alertou para a possível presença de até 50 mil civis nesses bairros, controlados por cerca de 1500 terroristas, um terço dos quais pertenceria ao grupo terrorista Frente al-Nusra.

    Tema:
    Crônicas de Aleppo libertada (64)

    Mais:

    Governo de Aleppo: combates cessaram a partir da noite de terça
    Jihadistas remanescentes em Aleppo pediram para deixar a cidade
    França convoca Conselho de Segurança para discutir 'crimes de guerra' em Aleppo
    Depois da libertação de Aleppo, exército sírio vai para o ocidente
    Tags:
    evacuação, governo, militantes, ofensiva, retirada, familiares, terroristas, ONU, Aleppo, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik