18:31 18 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Presidente da China, Xi Jinping, durante um discurso na Coreia do Sul, em 2014

    China aposta alto em relações com a América Latina

    © Fotobank.ru/Getty Images/ SeongJoon Cho
    Mundo
    URL curta
    9160

    O presidente da República Popular da China, Xi Jinping, visitará o Equador, o Peru e o Chile entre os dias 17 e 23 de novembro. Em sua turnê pela América Latina, ele pretende assinar acordos comerciais com cada um destes países e se reunir com seus respectivos chefes de Estado.

    Esta será a terceira viagem do presidente chinês à região. Em 2013, ele visitou Trinidad e Tobago, Costa Rica e México. Mais tarde, em 2014, esteve no Brasil, na Argentina, na Venezuela e em Cuba.

    As relações entre a China e a América Latina têm experimentado um rápido desenvolvimento, segundo afirmou à RT o pesquisador do Instituto de América Latina da Academia de Ciências Sociais da China, Xu Shicheng. A evolução, segundo ele, se dá graças a “uma cooperação abrangente e a um fomento bilateral mútuo proposto pelo presidente Xi".

    Nesse sentido, diz Shicheng, a nova viagem do presidente chinês representa "uma nova fase" na cooperação e nas relações bilaterais entre o gigante asiático e a América Latina.

    Equador, Peru e Chile

    A primeira parada de Xi será em Quito, capital do Equador. Ele se reunirá com o presidente Rafael Correa e com a presidente da Assembleia Nacional, Gabriela Rivadeneira. Esta será a primeira visita de um presidente chinês ao país desde o estabelecimento de relações diplomáticas em 1980. Além de assinar uma série de acordos e convênios, será ratificada a entrega de ajuda humanitária da China para o Equador, em relação ao grande terremoto que abalou o país em abril. Pequim já contribuiu com mais de US$ 10 milhões em empréstimos diretos para a reconstrução de habitações.

    O segundo país visitado pelo chefe de Estado chinês é o Peru, onde estará nos dias 19 e 20 de novembro para participar da 24ª Reunião de Líderes Econômicos do Fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (APEC) em Lima. Além disso, Xi se reunirá com o presidente Pedro Pablo Kuczynski, que visitou a China em setembro deste ano.

    Finalmente, Xi chegará ao Chile, primeiro país da região que estabeleceu relações com Pequim e com o qual a China assinou um acordo de livre comércio. Além da reunião com a presidente Michelle Bachelet, Xi vai impulsionar a revisão e a modernização do acordo econômico vigente entre os dois países, processo iniciado em 2015.

    Aposta na América Latina

    Desde o início do novo século, a China vem incrementando as suas relações políticas e comerciais com a América Latina. Segundo a agência equatoriana Andes, "o volume de comércio entre China e América Latina aumentou mais de 20 vezes ao longo da última década, situando-se em 236,5 bilhões de dólares em 2015". Além disso, o gigante asiático “é o segundo maior parceiro comercial e a terceira maior fonte de investimentos na América Latina".

     

    Mais:

    China reforça presença na América Latina
    'A China sabe que o Brasil é o principal país da América do Sul'
    China anuncia fundo para investimentos na América Latina
    China lança seu maior projeto de infraestrutura na América Latina
    Opinião: Europa precisa de grandes esforços para rivalizar com China na América Latina
    Tags:
    investimento, comércio, cooperação, relações, APEC, Xi Jinping, Peru, Chile, Equador, América Latina, Brasil, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik