03:30 13 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Curdos sírios em Kobane

    Curdos sírios destacam eficácia da operação aérea russa na Síria

    © AFP 2019 / YASIN AKGUL
    Mundo
    URL curta
    Rússia combate Estado Islâmico na Síria (291)
    1251
    Nos siga no

    O partido político mais influente de curdos sírios, Partido de União Democrática (PYD, na sigla em curdo), visitou a capital da Rússia, Moscou, em 19 de outubro pelo convite oficial do lado russo e reuniu-se com o vice-chanceler russo, Mikhail Bogdanov.

    O conselheiro de Sihanok Dibo, um dos líderes do PYD, declarou à Sputnik que as negociações foram dedicadas não só a possível abertura da apresentação do partido em Moscou, mas também as perspectivas de cooperação curdo-russa na área de combate ao terrorismo.

    Sihanok Dibo sublinhou especialmente que os curdos sírios apoiam a resolução pacífica da crise síria e estão prontos para cooperar com todos os lados que partilham da tal posição política.

    Sublinhando a importância do fato que o lado russo presta à participação de curdos na luta contra o Estado Islâmico (EI ou ISIS, na sigla em inglês), Dibo destacou a alta eficácia da operação aérea russa na Síria:

    “A Rússia realiza uma luta muito eficaz com militantes do Estado Islâmico e da Frente al-Nusra. Apoiamos completamente as ações da Rússia na Síria e estamos convictos de que Moscou também poderia cooperar com a mesma eficácia com batalhões de tropas irregulares curdas das YPG [sigla em curdo para Unidades de Proteção Popular] para destruir posições dos terroristas em terreno”.

    Por seu turno o vice-chanceler da região de Kobane, Idris Nessan, comentou à Sputnik a reunião recente do presidente sírio Bashar Assad com o seu colega russo Vladimir Putin. Segundo o político entrevistado pela Sputnik, a visita de Assad à Moscou é um evento natural:

    “A Rússia já várias vezes tem se encontrado com representantes do governo de Assad. Moscou realiza negociações ao nível internacional para resolver politicamente a crise síria. Achamos que a reunião entre Putin e Assad deve ser considerada deste ponto de vista – como a parte do programa de ações da Rússia para achar a via para a Síria sair da crise”.

    Comentando a visita da delegação de curdos sírios do PYD a Moscou, Nessan disse:

    “Já por muito tempo lutamos os terroristas na região. Os russos também combate os jihadistas. Necessitamos unir os esforços para aumentar a eficácia da luta. As negociações em Moscou foram dirigidas para elaborar o plano de ações conjuntas. Esperamos que a comunidade internacional junte os seus esforços para destruir a ameaça de terrorismo”.

    Nessan também informou sobre os preparativos ativos do lado curdo para realizar no tempo próximo a operação de libertação da cidade de Raqqa e região da cidade de Jarabulus, os dois baluartes do Estado Islâmico.

    O Partido de União Democrática é afiliado ao Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), que é considerado uma organização terrorista pela Turquia, pelos Estados Unidos, pela União Europeia e pela OTAN.

    Desde 30 de setembro último, a pedido do presidente sírio Bashar Assad, a Rússia iniciou ataques localizados contra as posições do Estado Islâmico na Síria. Durante o tempo transcorrido desde o início da operação, a Força Aeroespacial russa aplicou cerca de 900 golpes, eliminando centenas de terroristas, dezenas de postos de comando, armazéns e outros alvos e instalações.

    Além disso, 26 mísseis de cruzeiro lançados por navios da Frota do Mar Cáspio também atingiram alvos do Estado Islâmico.

    O presidente Vladimir Putin confirmou mais cedo que o período da operação militar russa na Síria será limitado pela ofensiva do exército sírio, negando a possibilidade de uso das Forças Armadas da Rússia para ações militares terrestres.

    Tema:
    Rússia combate Estado Islâmico na Síria (291)

    Mais:

    Rússia admite acesso de jornalistas estrangeiros à sua base na Síria
    Tags:
    curdos, terrorismo, Frente al-Nusra, Estado Islâmico, Bashar Assad, Vladimir Putin, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar