12:47 05 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Hoje atualizado
    URL curta
    1300
    Nos siga no

    Bom dia! A Sputnik Brasil está acompanhando as matérias mais relevantes desta segunda-feira (21), marcada pelos mais de 500 mil óbitos por COVID-19 no Brasil desde o início da pandemia, pela intenção da Coreia do Sul de desenvolver a defesa espacial e pelas inundações na Crimeia.

    Brasil ultrapassa marca de 500 mil mortos por COVID-19

    Nesta segunda-feira (21), o Brasil confirmou mais 1.050 mortes e 45.348 casos de COVID-19, totalizando 501.918 óbitos e 17.926.393 diagnósticos da doença, informou o consórcio entre secretarias estaduais de saúde e veículos de imprensa. No sábado (19), o país bateu a marca preocupante de meio milhão de mortos pelo novo coronavírus. Segundo cálculos, de cada 425 brasileiros, um foi levado pela pandemia, aponta o portal G1. No domingo (20), o Brasil registrou a maior média móvel de casos de infecção desde 1º de abril, uma tendência que aponta para a aceleração do ritmo do contágio. Assim, este se aproxima do nível registrado em seu pior momento, em 27 de março, quando o país atingiu 77.128 casos por dia.

    Manifestantes protestam contra presidente Jair Bolsonaro e sua gestão da pandemia da COVID-19, Manaus, 19 de junho de 2021
    © AFP 2021 / MICHAEL DANTAS
    Manifestantes protestam contra presidente Jair Bolsonaro e sua gestão da pandemia da COVID-19, Manaus, 19 de junho de 2021

    Nise Yamaguchi quer processar senadores por danos morais

    Neste domingo (20), a médica oncologista Nise Yamaguchi anunciou, em uma carta aberta, sua intenção de processar o presidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz (PSD-AM), e o parlamentar Otto Alencar (PSD-BA) a fim de "restaurar a integridade" dela, bem como de seus colegas de profissão. Nise afirmou que, durante seu depoimento à CPI em 1º de junho, eles a humilharam e foram misóginos – expressando preconceito contra a mulher. "É triste perceber que, na Casa do Povo Brasileiro, mesmo após décadas de evolução, ainda se perpetuam comportamentos misóginos", cita o portal UOL a carta da médica, que pede uma indenização de R$ 160.000 de cada um por danos morais. Por sua vez, em entrevista à CNN, Omar Aziz negou tais acusações assegurando que "meu comportamento é igual com todos, não há diferença".

    • A médica Nise Yamaguchi é considerada defensora da cloroquina, da imunidade de rebanho e do "tratamento precoce". Segundo as apurações, ela teria atuado como conselheira do governo ao longo da pandemia e poderia ter incentivado a ausência de resposta às propostas de venda de vacinas da Pfizer no ano passado, por defender a imunidade de rebanho, mas Yamaguchi negou. Durante o depoimento, a médica se defendeu e disse que divulgou o uso de máscaras em suas redes sociais.
    A médica Nise Yamaguchi durante depoimento na CPI da Covid, no dia 1º de junho de 2021
    © REUTERS / Adriano Machado
    A médica Nise Yamaguchi durante depoimento na CPI da Covid, no dia 1º de junho de 2021

    Armênia: Partido de Pashinyan ganha eleição parlamentar com cerca de 54%

    O partido Contrato Civil do atual premiê da Armênia, Nikol Pashinyan, ganhou na eleição parlamentar que ocorreu neste domingo (20), após contagem de votos em todas as seções eleitorais. De acordo com Comissão Eleitoral Central do país, o partido de Pashinyan obteve 53,92% de votos, enquanto o partido Aliança da Armênia, do ex-presidente armênio Robert Kocharyan, ficou em segundo lugar com 21,04% dos votos. O premiê já declarou vitória em uma transmissão no Facebook. No entanto, o Aliança da Armênia questionou a credibilidade dos resultados preliminares da eleição, apontando para as numerosas violações relatadas durante a votação. O partido disse ter intenção de investigar cuidadosamente todas as irregularidades denunciadas antes de aceitar os resultados.

    Atual premiê da Armênia e líder do partido Contrato Civil, Nikol Pashinyan, saúda apoiadores antes da eleição parlamentar no país, 17 de junho de 2021
    © REUTERS / Vahram Baghdasaryan/Photolure
    Atual premiê da Armênia e líder do partido Contrato Civil, Nikol Pashinyan, saúda apoiadores antes da eleição parlamentar no país, 17 de junho de 2021

    Coreia do Sul vai reforçar capacidades de defesa espacial

    A Coreia do Sul vai reforçar suas capacidades de defesa espacial e desenvolverá um sistema de combate às ameaças no espaço, após Washington ter cancelado as restrições ao seu programa de mísseis (que antes a impedia de possuir mísseis de longo alcance), anunciou o ministro da Defesa sul-coreano Suh Wook nesta segunda-feira (21). A medida foi acordada no mês passado pelos presidentes dos dois países, Joe Biden e Moon Jae-in. "Com base no termo das orientações relativas aos mísseis, continuaremos a reforçar nossas capacidades espaciais, incluindo satélites de vigilância, e estabelecendo um sistema para operações combinadas no espaço", disse Suh, citado pela agência de notícias Yonhap. Ele também sublinhou que a decisão de Washington foi de "grande significado" e abriu novas perspectivas para indústria de defesa sul-coreana. Por sua vez, a Agência Sul-Coreana para o Desenvolvimento da Defesa criou um novo centro de pesquisa dedicado às tecnologias espaciais "para apresentar resultados visíveis [...] nos sectores dos satélites e dos foguetes".

    Noh Kyu-duk (à direita), representante especial da Coreia do Sul para Assuntos de Paz e Segurança na Península Coreana, durante encontro bilateral com Sung Kim (à esquerda), representante especial dos EUA para Coreia do Norte, Seul, Coreia do Sul, 21 de junho de 2021
    © REUTERS / Jung Yeon-Je
    Noh Kyu-duk (à direita), representante especial da Coreia do Sul para Assuntos de Paz e Segurança na Península Coreana, durante encontro bilateral com Sung Kim (à esquerda), representante especial dos EUA para Coreia do Norte, Seul, Coreia do Sul, 21 de junho de 2021

    Mais de 43 feridos em Yalta após fortes inundações na Crimeia

    Mais de 43 pessoas ficaram feridas na cidade de Yalta durante fortes inundações na Crimeia, Rússia. A cidade já recebeu sua primeira distribuição de auxílio, de acordo com a informação das autoridades da Crimeia divulgada na segunda-feira (21). Segundo a chefe da administração de Yalta, Yanina Pavlenko, "o chefe da república alocou 57,8 milhões de rublos [R$ 4,02 milhões] como primeira tranche para ajudar as vítimas em Yalta", conforme vídeo publicado no Facebook no domingo (20). O representante da administração da cidade contou à Sputnik que um homem que estava desaparecido foi encontrado vivo, enquanto a busca por uma mulher desaparecida continua. O Ministério para Situações de Emergência da Rússia disse no sábado (19) que mais de 1.700 pessoas, incluindo mais de 300 crianças, foram evacuadas na Crimeia em meio a fortes chuvas e inundações e que cerca de 200 permanecem alojadas em abrigos temporários.

    Pessoas atravessando rua inundada após fortes chuvas em Yalta, Crimeia, 18 de junho de 2021
    © Sputnik / Konstantin Mikhalchevsky
    Pessoas atravessando rua inundada após fortes chuvas em Yalta, Crimeia, 18 de junho de 2021

    EUA esperam resposta positiva da Coreia do Norte após sua proposta de manter diálogo

    O representante oficial dos EUA para a Política da Coreia do Norte, Sung Kim, disse nesta segunda-feira (21) que Washington espera que Pyongyang dê uma resposta positiva à proposta norte-americana de retomar o diálogo, mas que, ao mesmo tempo, não descarta a confrontação. Na sexta-feira (18), o líder norte-coreano Kim Jong-un chamou o seu país a se preparar "tanto para o diálogo quanto para o confronto" com os EUA. Por sua vez, o assessor de Segurança Nacional dos EUA, Jake Sullivan, declarou no domingo (20) que os EUA estão prontos para negociar com a Coreia do Norte sobre o seu programa nuclear, continuando à espera de um sinal "mais claro" de Pyongyang. Discursando após reunião com o representante especial sul-coreano Noh Kyu-duk, Sung Kim disse: "No que diz respeito à declaração recente de Kim Jong-un sobre diálogo e confronto, nós estaremos prontos tanto para o primeiro quanto para o segundo porque, como vocês sabem, ainda estamos aguardando a resposta de Pyongyang sobre nossa proposta para realizar uma reunião", adicionando que as palavras do líder norte-coreano significam que Washington receberá uma "resposta positiva" em breve.

    Mais:

    'Nossa paciência acabou', diz primeiro-ministro de Israel em mensagem ao Hamas (VÍDEO)
    Avião com 1ª remessa de vacinas da Pfizer pelo consórcio COVAX Facility chega ao Brasil
    EUA: se China não cooperar com investigação sobre COVID-19 enfrentará 'isolamento internacional'
    Tags:
    COVID-19, CPI da Covid, Brasil, novo coronavírus, Coreia do Sul, Armênia, Nikol Pashinyan, Crimeia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar