05:51 03 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    5217
    Nos siga no

    A usina nuclear de Bushehr foi temporariamente fechada para revisão técnica, disse a televisão estatal iraniana neste domingo (20).

    Um oficial da companhia de energia elétrica estatal, Gholamali Rakhshanimehr, afirmou que o encerramento da usina teve lugar no sábado (19), e que duraria por "três ou quatro dias". 

    Oficialmente, foi então confirmado que a usina estará parada desde este domingo (20), até sexta-feira (25), segundo a Companhia de Geração e Tansmissão de Energia do Irã (TAVANIR).

    Rakhshanimehr disse que esta foi a primeira vez que o Irã registrou uma emergência na usina em causa, localizada no sul da cidade portuária de Bushehr. Em 2011, com a ajuda da Rússia, a cidade ficou, por fim, conectada com a rede.

    Em março deste ano, Mahmoud Jafari, alto funcionário da usina em causa, disse que a última deveria parar seu funcionamento, pois devido às sanções bancárias impostas pelos EUA em 2018, não pode importar peças e equipamento da Rússia.

    A usina de Bushehr é alimentada por urânio produzido na Rússia, e é monitorada pela Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA). A AIEA, por sua vez, ainda não respondeu a nenhum pedido de comentário sobre o apagão, informa a agência AP.

    A usina, construída após a Revolução Islâmica de 1979, está situada perto de falhas geológicas ativas, pelo que foi construída de modo a resistir a terremotos poderosos. Periodicamente, foi sacudida por vários destes eventos geológicos, mas nos últimos anos, não foi registrado nenhum terremoto significativo na área.

    Mais:

    Maior navio da Marinha do Irã afunda após ficar em chamas no golfo de Omã (VÍDEO, FOTOS)
    EUA causam explosão para testar resistência de porta-aviões mais caro do país (FOTOS)
    Queda de helicóptero com urnas eleitorais provoca um morto e 11 feridos no Irã
    Tags:
    emergência, apagão, usina nuclear, Bushehr, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar