05:41 14 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Hoje atualizado
    URL curta
    2280
    Nos siga no

    Bom dia! A Sputnik Brasil está acompanhando as matérias mais relevantes desta terça-feira (1º), marcada pela oposição contra a Copa América no Brasil, pelo discurso do presidente dos EUA, Joe Biden, sobre a democracia "em perigo" e pelas novas designações das variantes da COVID-19.

    Copa América no Brasil enfrenta oposição

    Nesta segunda-feira (31), a Conmebol anunciou que o Brasil sediará a Copa América. Embora a decisão ainda não tenha sido oficialmente tomada, segundo a Casa Civil, o anúncio provocou numerosas críticas. O relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL), chamou a competição de "campeonato da morte". O deputado federal Júlio Delgado (PSB-MG) entrou com mandado de segurança no STF contra a Copa América, com argumento de crise sanitária não controlada no país. Os infectologistas também confirmam que agora não é bom momento para tal torneio. A vacinação lenta e número alto de novos casos registrados mostra que o país corre risco de acelerar a disseminação do vírus. "Trata-se de uma situação absurda e irresponsável", afirma o infectologista Leonardo Weissmann, citado pela Folha de São Paulo. O Brasil confirmou mais 874 mortes e 34.960 casos de COVID-19, totalizando 462.966 óbitos e 16.547.674 diagnósticos da doença, informou o consórcio entre secretarias estaduais de saúde e veículos de imprensa.

    Homem passa ao lado de graffiti mostrando Diego Maradona, após a Conmebol ter anunciado que Argentina não vai sediar a Copa América e o Brasil disputa a organização do torneio, 31 de maio de 2021
    © REUTERS / Agustin Marcarian
    Homem passa ao lado de graffiti mostrando Diego Maradona, após a Conmebol ter anunciado que Argentina não vai sediar a Copa América e o Brasil disputa a organização do torneio, 31 de maio de 2021

    PGR envia ao STF pedido de abertura de inquérito para investigar ministro Salles

    Nesta segunda-feira (31), a Procuradoria Geral da República pediu ao Supremo Tribunal Federal que abrisse um inquérito para investigar o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. O pedido baseia-se em notícia-crime apresentada pela Polícia Federal, de acordo com a qual o ministro teria atrapalhado a Operação Akuanduba, que consiste em apurar crimes contra a administração pública praticados por agentes e empresários do ramo madeireiro. A ministra do STF, Cármen Lúcia, será a relatora do caso. Entretanto, a assessoria do ministro do Meio Ambiente reagiu ao pedido dizendo que isso "será uma boa oportunidade para esclarecer todos os fatos."

    Ministro do Meio Ambiente do Brasil, Ricardo Salles, durante coletiva de imprensa, 22 de abril de 2021
    © AFP 2021 / Sergio Lima
    Ministro do Meio Ambiente do Brasil, Ricardo Salles, durante coletiva de imprensa, 22 de abril de 2021

    Em discurso no Dia da Memória, Biden diz que a democracia está 'em perigo'

    Nesta segunda-feira (31), o presidente dos EUA, Joe Biden, fez um discurso no Dia da Memória, feriado que homenageia os militares norte-americanos que tombaram em combate pelo seu país. "A democracia é mais do que uma forma de governo, é uma forma de ser, uma forma de ver o mundo. Democracia significa o governo do povo", disse o presidente durante o discurso, citado pela agência Reuters, relembrando o milhão de americanos que perderam sua vida no serviço militar, incluindo 7.036 soldados americanos que morreram em conflitos recentes no Iraque e Afeganistão. Biden defendeu a democracia "imperfeita" dos Estados Unidos e pediu mais trabalho para cumprir a promessa do que ele disse ter permanecido "o maior experimento" da história mundial. Biden avisou que a democracia está "em perigo" nos EUA e em todo o mundo diante das forças autocráticas, que não especificou.

    Presidente Joe Biden ajusta coroa de flores no Túmulo do Soldado Desconhecido, no cemitério Nacional de Arlington, EUA, no Dia da Memória, 31 de maio de 2021
    © AP Photo / Alex Brandon
    Presidente Joe Biden ajusta coroa de flores no Túmulo do Soldado Desconhecido, no cemitério Nacional de Arlington, EUA, no Dia da Memória, 31 de maio de 2021

    Chanceleres do BRICS vão realizar reunião virtual

    Nesta terça-feira (1º), os ministros das Relações Exteriores dos cinco países do BRICS vão se encontrar por videoconferência a fim de discutir os desafios comuns de agenda internacional. O evento ocorre quando a Índia preside o grupo, que também inclui a Rússia, Brasil, África do Sul e China. O chanceler brasileiro Carlos Alberto Franco Franca, o chanceler indiano Subrahmanyam Jaishankar, o ministro russo Sergei Lavrov, o ministro chinês Wang Yi e a ministra sul-africana Grace Naledi Mandisa Pandor planejam trocar opiniões sobre os conflitos regionais, o reforço das estruturas e organizações internacionais, bem como as respostas possíveis aos desafios e ameaças globais, incluindo a pandemia.

    Presidente da China, Xi Jinping, premiê indiano Narendra Modi, presidente da Rússia Vladimir Putin, presidente da África do Sul Cyril Ramaphosa e o presidente do Brasil Jair Bolsonaro durante a 11ª Cúpula do BRICS, 14 de novembro de 2019
    © AFP 2021 / Sergio Lima
    Presidente da China, Xi Jinping, premiê indiano Narendra Modi, presidente da Rússia Vladimir Putin, presidente da África do Sul Cyril Ramaphosa e o presidente do Brasil Jair Bolsonaro durante a 11ª Cúpula do BRICS, 14 de novembro de 2019

    Vigília à luz de velas para homenagear vítimas de massacre de 1921

    Nesta segunda-feira (31), uma vigília à luz de velas ocorreu nas ruas de Greenwood, distrito de Oklahoma, EUA, para homenagear as vítimas dos distúrbios raciais de Talsa em 1921. O tumulto racial aconteceu em 31 de maio e 1º de junho em 1921, quando multidões de residentes brancos atacaram moradores negros e seus prédios no distrito de Greenwood. O bairro se chamava naquela época Black Wall Street, já que continha uma das mais ricas comunidades nos EUA. De acordo com certos cálculos, o massacre desencadeado por brancos armados deixou cerca de 300 negros mortos.

    Pessoas seguram velas durante vigília à luz de velas em comemoração do massacre de residentes negros de 1921 em Tulsa, Oklahoma, 31 de maio de 2021
    John Locher
    Pessoas seguram velas durante vigília à luz de velas em comemoração do massacre de residentes negros de 1921 em Tulsa, Oklahoma, 31 de maio de 2021

    OMS decide designar variantes da COVID-19 com letras gregas

    Nesta segunda-feira (31), a Organização Mundial da Saúde anunciou a decisão de designar as variantes da COVID-19 com letras do alfabeto grego. O objetivo da renomeação, de acordo com o comunicado da OMS, é evitar estigmatização dos países onde as mutações foram primeiramente detectadas. "As pessoas frequentemente começam a chamar as variantes pelos lugares onde estas foram detectadas, o que é estigmatizante e discriminatório". Com o novo sistema de designação, a cepa britânica B.1.1.7 receberá o nome de Alpha, a variante B.1.351, descoberta pela primeira vez na África do Sul, será Beta, enquanto a mutação brasileira P.1 vai ser Gamma. Futuras variantes serão designadas com as letras seguintes. Entretanto, ainda não se sabe se as pessoas se habituarão aos novos nomes, já que as antigas designações têm sido utilizadas por todos há diversos meses.

    Mais:

    Caça Su-27 da Rússia escolta bombardeiro dos EUA sobre o mar Báltico
    Irã não responde sobre vestígios de urânio encontrados em instalações e gera preocupação na AIEA
    Fungo preto no Brasil: especialistas comentam chegada de infecção rara ao país
    Tags:
    Joe Biden, investigação, Ricardo Salles, massacre, Tulsa, BRICS, copa américa, COVID-19, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar