09:27 23 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    101724
    Nos siga no

    Desde a administração anterior, de Donald Trump, os EUA têm exercido significativa pressão diplomática e econômica sobre a China em uma série de questões, incluindo comércio e desenvolvimento militar.

    O presidente dos EUA, Joe Biden, disse às Forças Armadas do país, nesta sexta-feira (28), que o líder chinês Xi Jinping está convencido de que a China terá mais poder que os norte-americanos ​​nos próximos dez a 15 anos.

    Na instalação militar Joint Base Langley–Eustis, em Hampton, na Virgínia, ele afirmou que os Estados Unidos estão em "uma batalha entre democracias e autocracias", ressaltando ter passado mais tempo com Xi "do que qualquer líder mundial". Segundo ele, foram 24 horas de reuniões privadas com o presidente chinês.

    "Ele acredita firmemente que a China, antes dos anos 2030, 2035, vai ter a América nas mãos, porque as autocracias podem tomar decisões rápidas", disse Biden.

    Em seguida, o presidente garantiu ao público que "a América é única".

    O presidente da China Xi Jinping
    © REUTERS / Carlos Garcia Rawlins
    O presidente da China Xi Jinping

    Na manhã desta sexta-feira (28), o governo Biden propôs um plano de orçamento federal para o ano fiscal de 2022.

    Segundo a proposta, aproximadamente US$ 1,9 trilhão (cerca de R$ 9,93 trilhões) será para combater a "influência" iraniana, chinesa e russa na maior parte da Europa e da Eurásia, com um forte foco no Oriente Médio.

    Mais:

    China é instada a aumentar seu arsenal militar para conter ameaça marítima dos EUA, diz mídia
    EUA confirmam 'apoio de ferro' à segurança de Israel
    EUA prometem impor sanções a Belarus após desvio de avião
    Tags:
    Forças Armadas dos EUA, militares, disputa, Xi Jinping, Joe Biden, China, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar