05:54 23 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Hoje atualizado
    URL curta
    0 290
    Nos siga no

    Bom dia! A Sputnik Brasil está de olho nas notícias mais relevantes desta terça-feira (8), marcada pelo melhor boletim diário da COVID-19 no Brasil desde maio, pela troca de tiros entre soldados de Índia e China e pela liberação do primeiro lote da vacina Sputnik V para uso civil.

    Brasil registra 315 mortes por COVID-19, melhor boletim diário desde maio

    Nesta segunda-feira (7), o Brasil registrou 315 novos óbitos causados pela COVID-19, menor número desde maio. Mais 9.992 novos casos foram confirmados nas últimas 24 horas, o que representa uma variação de 10% inferiores em relação à média móvel dos últimos 14 dias. Apesar da boa notícia, a situação epidemiológica do país ainda é lamentável, com 127.001 vítimas fatais e 4.147.598 casos confirmados de COVID-19. O Sindicato dos Médicos de São Paulo informou que 244 médicos brasileiros faleceram em decorrência da doença desde o início da pandemia, 88% dos quais eram homens e 45% de idade acima dos 60 anos.

    Presidente Jair Bolsonaro e a primeira-dama Michelle Bolsonaro acompanham o desfile do Dia da Independência do Brasil, Brasília, 7 de setembro de 2020
    © REUTERS / Adriano Machado
    Presidente Jair Bolsonaro e a primeira-dama Michelle Bolsonaro acompanham o desfile do Dia da Independência do Brasil, Brasília, 7 de setembro de 2020

    Biden e Trump partem para ataque em fase final da corrida presidencial

    O presidente dos EUA, Donald Trump, e o candidato democrata à presidência, Joe Biden, endurecem a retórica, conforme a corrida presidencial atinge a última etapa. Em coletiva de imprensa na Casa Branca, Trump afirmou que seu rival, a quem ele se refere frequentemente como "Biden dorminhoco", "vai destruir esse país e a sua economia" se for eleito. O democrata, por sua vez, acusa Trump de ter classificado soldados americanos mortos em combate de "perdedores". As eleições presidenciais dos EUA serão celebradas em 3 de novembro. De acordo com pesquisa Real Clear Politics divulgada em 6 de setembro, Biden lidera as intenções de votos com 50%, contra 42% para Trump.

    Candidato do Partido Democrata à presidência dos EUA, Joe Biden, em aeroporto de Wilmington, Delaware, EUA, 7 de setembro de 2020
    © REUTERS / Kevin Lamarque
    Candidato do Partido Democrata à presidência dos EUA, Joe Biden, em aeroporto de Wilmington, Delaware, EUA, 7 de setembro de 2020

    Evo Morales acata decisão que o proíbe de concorrer ao Senado boliviano

    Nesta segunda-feira (7), Justiça boliviana recusou o registro da candidatura do ex-presidente da Bolívia, Evo Morales, ao Senado pelo estado de Cochabamba, informou o atual ministro da Justiça, Álvaro Coimbra, conforme reportou a agência ABI. Exilado na Argentina após renunciar sob pressão das Forças Armadas bolivianas, Morales considerou a decisão "ilegal e contrária à Constituição". Mesmo assim, assegurou que vai "acatar a decisão, porque a nossa obrigação e prioridade é tirar as pessoas da crise". Em fevereiro, decisão do Supremo Tribunal Eleitoral boliviano havia antecipado que o registro de Morales para concorrer às eleições de 18 de outubro seria recusado.

    Manifestantes realizam ato contra o governo Jeanine Áñez, que assumiu após renúncia de Evo Morales, em El Alto, 12 de agosto de 2020
    © AFP 2020 / Luis Gandarillas
    Manifestantes realizam ato contra o governo Jeanine Áñez, que assumiu após renúncia de Evo Morales, em El Alto, 12 de agosto de 2020

    Situação da COVID-19 na França é 'preocupante', diz ministro

    Nesta terça-feira (8), o ministro da Saúde da França, Olivier Véran, declarou que o número de casos diários da doença no país atingiu níveis "preocupantes", mas que uma nova onda de infecções pode ser evitada. "O vírus está se propagando a uma velocidade menor, mas está circulando, o que é preocupante", disse Véran, conforme reportou a Rádio France Inter. A França é o 13º país mais atingido pela COVID-19 mundialmente, com 367.174 casos confirmados e 30.732 vítimas fatais, de acordo com a Universidade Johns Hopkins (EUA).

    Agente de saúde coleta amostra para teste para COVID-19 em Hospital Universitário de Rennes, França, 7 de setembro de 2020
    © AFP 2020 / Damien Meyer
    Agente de saúde coleta amostra para teste para COVID-19 em Hospital Universitário de Rennes, França, 7 de setembro de 2020

    Arábia Saudita prende 8 em conexão com assassinato de Jamal Khashoggi

    Nesta segunda-feira (7), a Justiça saudita prendeu oito suspeitos de participar do assassinato de Jamal Khashoggi, desaparecido após ser convocado para reunião no consulado da Arábia Saudita em Istambul, em outubro de 2018. Os acusados foram condenados a penas que variam entre sete e 20 anos de prisão. Perdoados formalmente pela família de Khashoggi, os condenados foram poupados da pena de morte. O diretor de comunicações do presidente da Turquia, Fahrettin Altun, afirmou que o julgamento "não atendeu às expectativas" de seu país: "Ainda não sabemos o que aconteceu com o corpo de Khashoggi" ou quem foi o mandante do crime, apontou Altun em sua conta no Twitter.

    Manifestantes realizam ato em homenagem ao jornalista Jamal Khashoggi, em Istambul, Turquia (foto de arquivo)
    YASIN AKGUL
    Manifestantes realizam ato em homenagem ao jornalista Jamal Khashoggi, em Istambul, Turquia (foto de arquivo)

    Tropas indianas e chinesas teriam trocado tiros no leste de Ladakh, diz fonte

    Na noite desta segunda-feira (7), tropas de Índia e China teriam trocado tiros na região contestada de Ladakh, informou fonte no Exército indiano à Sputnik. O incidente teria ocorrido no lago de Pangong, em meio ao aumento das tensões na região fronteiriça. Na semana passada, os ministros da Defesa da China, Wei Fenghe, e da Índia, Rajnath Singh, pediram solução pacífica da disputa, durante encontro dos ministros da Defesa da Organização de Cooperação de Xangai, sediada em Moscou.

    Avião Hercules da Força Aérea da Índia pousa na base de Leh, no território contestado de Ladakh, na fronteira com China, 8 de setembro de 2020
    © AFP 2020 / Mohd Arhaan Archer
    Avião Hercules da Força Aérea da Índia pousa na base de Leh, no território contestado de Ladakh, na fronteira com China, 8 de setembro de 2020

    Primeiro lote da vacina russa contra COVID-19 é disponibilizado para uso civil

    Nesta segunda-feira (7), o Ministério da Saúde da Rússia anunciou que o primeiro lote da vacina russa contra a COVID-19, Sputnik V, está disponível para uso civil. A vacina será distribuída entre as diversas regiões da Federação da Rússia, informou o serviço de imprensa do ministério. A vacina Sputnik V, desenvolvida pelo Instituto Gamaleya em parceria com o Fundo Russo de Investimentos Diretos, foi a primeira vacina contra a COVID-19 a ser registrada no mundo. Nesta sexta-feira (4), artigo publicado na revista científica The Lancet atestou a segurança e eficácia da vacina.

    Mais:

    'Receio que outra coisa vá substituí-lo': investidor dos EUA prevê fim do reinado do dólar
    Venezuela possui submarino secreto que poderia sabotar interesses dos EUA no Caribe, diz Forbes
    Vacina russa Sputnik V contra COVID-19 terá versão especial para crianças
    Tags:
    vacina, China, Índia, Turquia, Arábia Saudita, Jamal Khashoggi, Evo Morales, Bolívia, eleições, EUA, COVID-19, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar