18:32 26 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Hoje atualizado
    URL curta
    0 330
    Nos siga no

    Bom dia! A Sputnik Brasil está de olho nas notícias mais importantes desta quarta-feira (26), na qual a pandemia completa seis meses no Brasil, polícia norte-americana faz vítima durante protestos contra racismo e líder da oposição bielorrussa Tikhanovskaya diz contar com o apoio norte-americano.

    Pandemia completa 6 meses no Brasil

    Nesta quarta-feira (26), a pandemia do novo coronavírus completa seis meses no Brasil. O primeiro caso confirmado no país foi o de um homem de 61 anos que viajara à Itália, entre os dias 9 e 21 de fevereiro. Desde então, o país já registrou 3.647.176 casos e 116.666 óbitos pela doença. Nas últimas 24 horas, mais 1.215 mortes foram registradas, de acordo com dados do consórcio entre veículos de imprensa e secretarias estaduais de saúde. RJ, GO, AP, TO e BA apresentam tendência de alta no número de óbitos.

    Paciente com COVID-19 reage ao ser transferida de barco para hospital na cidade de Breves, no Pará, na Ilha de Marajó, 10 de junho de 2020
    © AFP 2020 / Tarso Sarraf
    Paciente com COVID-19 reage ao ser transferida de barco para hospital na cidade de Breves, no Pará, na Ilha de Marajó, 10 de junho de 2020

    STF anula condenação de Moro no caso Banestado

    Nesta terça-feira (25), a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) anulou sentença proferida pelo então juiz Sergio Moro, que condenou o doleiro Paulo Roberto Krug por suposto esquema de fraude no Banco do Estado do Paraná (Banestado). De acordo com os ministros Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski, houve quebra da imparcialidade do juiz. Os ministros Edson Fachin e Carmen Lúcia votaram contra a anulação da sentença, enquanto Celso de Mello encontra-se em licença médica. De acordo com o direito penal, o empate favorece o réu. Em nota, Sergio Moro afirmou que sempre agiu "com imparcialidade, equilíbrio, discrição e ética".

    Discurso de Pompeo na Convenção do Partido Republicano dos EUA pode parar na Justiça

    Nesta terça-feira (25), a primeira-dama Melania Trump e o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, discursaram por videoconferência na Convenção do Partido Republicano. "É bastante incomum [...] que um secretário de Estado em exercício discurse em uma convenção partidária [...] e aparentemente ilegal", disse o deputado democrata Joaquin Castro. Para ele, o discurso viola o código de conduta interno do Departamento de Estado dos EUA e lei federal denominada Ato Hatch, que proíbe membros de alto escalão do executivo, em exceção do presidente, vice-presidente e demais designados, de participar de atividades de campanha.

    Discurso do secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, é transmitido na Casa Branca, em Washington, EUA, 25 de agosto de 2020
    © REUTERS / Kevin Lamarque
    Discurso do secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, é transmitido na Casa Branca, em Washington, EUA, 25 de agosto de 2020

    Disparos da polícia dos EUA deixam ao menos 3 feridos e 1 morto durante protestos em Wisconsin

    Na noite desta terça-feira (25), três pessoas ficaram feridas e uma faleceu após serem baleadas pela polícia norte-americana na cidade de Kenosha, no estado do Wisconsin, reportou o The New York Times. Os disparos teriam sido realizados durante protestos em homenagem ao afro-americano Jacob Blake Jr, que foi baleado pela polícia. De acordo com o advogado de direitos civis Benjamin Crump, Blake está paralisado da cintura para baixo e "precisará de um milagre para [...] voltar a andar". Jacob Blake Jr foi baleado na frente de seus três filhos neste domingo (23), após aparentemente tentar separar uma briga entre duas mulheres. Leia mais sobre os protestos

    Tikhanovskaya diz que EUA prometeram auxílio à oposição bielorrussa

    Nesta terça-feira (25), a ex-candidata à presidência da Bielorrússia, Svetlana Tikhanovskaya, disse em entrevista ao canal norte-americano Fox News ter recebido garantias de que os EUA vão apoiar a oposição bielorrussa. A promessa teria sido feita durante encontro entre o subsecretário de Estado dos EUA, Stephen Biegun, e Tikhanovskaya. Segundo ela, Biegun, uma "pessoa maravilhosa e gentil", "me assegurou que ele, pessoalmente, e o povo americano, vão fazer o possível para nos apoiar e nos ajudar nessa situação". Tikhanovskaya encontra-se na Lituânia, de onde lidera protestos contra os resultados das últimas eleições presidenciais na Bielorrússia.

    Candidata da oposição bielorrussa, Svetlana Tikhanovskaya, durante coletiva de imprensa (foto de arquivo)
    © REUTERS / Vasily Fedosenko
    Candidata da oposição bielorrussa, Svetlana Tikhanovskaya, durante coletiva de imprensa (foto de arquivo)

    Maioria do Conselho de Segurança da ONU rejeita restauração imediata de sanções contra Irã

    Em sessão realizada nesta terça-feira (25), membros do Conselho de Segurança da ONU (CSNU) como França, Alemanha, Reino Unido, China e Rússia, rejeitaram proposta norte-americana para restaurar imediatamente sanções contra o Irã. "Consideramos a opinião de 13 dos 15 membros do CSNU sobre o assunto e estamos firmemente convencidos de que o CSNU não pode tomar medidas [para atender à solicitação dos EUA]", disse a representante-assistente da França na organização, Anne Gueguen. A representante dos EUA, Kelly Craft, lamentou a posição dos países, que "acabaram do mesmo lado dos terroristas". Os EUA tentam restaurar imediatamente sanções contra Teerã, conforme previsto no acordo nuclear iraniano, do qual Washington não é parte.

    Mais:

    Governador de Wisconsin declara estado de emergência após protestos
    União Europeia está dividida sobre aceitar entrada da Ucrânia, revela Zelensky
    EXÉRCITO 2020: Brasil leva delegação de alto nível para promover seus produtos de defesa na Rússia
    Tags:
    Irã, Conselho de Segurança da ONU, Bielorrússia, Wisconsin, Melania Trump, Mike Pompeo, Donald Trump, EUA, COVID-19, pandemia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar