14:57 20 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    150
    Nos siga no

    O Centro Cultural Islâmico de Avicenne, em Rennes, foi pichado neste domingo (11) com frases ofensivas e direcionadas à população muçulmana na França.

    O ministro do Interior da França, Gérald Darmanin, expressou neste domingo (11) "todo o desgosto" que as pichações provocaram no governo francês. Ele prometeu "proteger" os locais de culto muçulmanos, dois dias antes do início do mês sagrado do Ramadã.

    "O presidente [Emmanuel Macron] me pediu para que dissesse aos dirigentes desta associação [muçulmana] o quanto repugnamos estas inscrições que são insultos, insultos aos muçulmanos franceses, insultos à França", declarou.

    Na manhã deste domingo (11), pichações racistas foram encontradas nas paredes exteriores do Centro Cultural Islâmico de Aviccene. Algumas mensagens diziam: "As Cruzadas vão recomeçar"; "Charles Martel nos salva"; "Não à islamização"; e "França eterna". As imagens foram compartilhadas nas redes sociais.

    "A comunidade muçulmana está chocada com o teor das palavras. Há muita indignação e mal-entendido" [frase de Gérald Darmanin]. Pichações anti-muçulmanas foram inscritas nas paredes externas do Centro Cultural Islâmico de Avicenne, em Rennes. O ministro do Interior chegará à região nesta noite.

    "Qualquer lugar de culto, qualquer lugar de inspiração religiosa é bem-vindo em nosso país, e devemos proteção aos nossos companheiros muçulmanos, como devemos aos nossos irmãos cristãos ou judeus", acrescentou o ministro do Interior, segundo publicação da Rádio França Internacional.

    Em Rennes, o Centro Cultural Islâmico Avicenne foi pichado no meio da noite.

    Mais:

    Reino Unido é acusado pela França de 'chantagem' sobre entregas da vacina contra COVID-19
    França acusa Rússia de usar vacina Sputnik V como 'ferramenta de propaganda'
    França recomenda mistura de vacinas em meio a preocupações com AstraZeneca
    Tags:
    França, Ramadã, Ramadã, muçulmano, islamismo, islamofobia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar