15:24 17 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    Pandemia de COVID-19 no mundo em meados de março de 2021 (83)
    3280
    Nos siga no

    A Irlanda reagiu a casos de trombose registrados no país: o Comitê Consultivo Nacional de Imunização (NIAC, na sigla em inglês) determinou a cessação imediata do uso da vacina da AstraZeneca.

    A Irlanda se juntou à crescente lista de países europeus que pararam a aplicação da vacina contra a COVID-19 da AstraZeneca após relatos de casos de trombose em cerca de 30 pessoas inoculadas, alguns fatais, escreve no domingo (14) o jornal The Guardian.

    O Comitê Consultivo Nacional de Imunização (NIAC [na sigla em inglês]) recomendou que a administração da vacina COVID-19 da AstraZeneca fosse temporariamente suspensa a partir desta manhã, domingo, 14 de março.

    Ronan Glynn, vice-diretor da agência, disse que a recomendação, que tem efeitos imediatos, segue um relatório da Agência Norueguesa de Medicamentos sobre quatro novos casos de trombose em adultos vacinados com o imunizante da AstraZeneca no país.

    "Não foi concluído que haja qualquer ligação entre a vacina COVID-19 da AstraZeneca e estes casos. No entanto, agindo como precaução e aguardando mais informações, a NIAC recomendou a suspensão temporária da vacina da AstraZeneca no programa de vacinação irlandês", acrescentou.

    A Autoridade Reguladora de Medicamentos e Produtos para a Saúde do Reino Unido disse estar a par da situação na República da Irlanda.

    "Estamos analisando atentamente os relatórios, mas dado o grande número de doses administradas e a frequência com que a trombose pode ocorrer naturalmente, as evidências disponíveis não sugerem que a causa seja a vacina", afirmou.

    Antes da Irlanda, vários países europeus, incluindo a Áustria, Dinamarca, Estônia, Islândia, Itália, Letônia, Lituânia e Noruega, também suspenderam a administração da vacina da empresa farmacêutica AstraZeneca após várias pessoas vacinadas com a vacina terem sofrido trombose e algumas até morrerem da doença.

    Outros países, incluindo a Espanha, anunciaram que continuarão utilizando as vacinas desta farmacêutica, embora as comunidades autônomas de Andaluzia, Castela e Leão, Catalunha e Ilhas Canárias no país tenham optado por congelar milhares de doses de um lote desta vacina que ainda não haviam sido fornecidas.

    Tanto a Agência Europeia de Medicamentos (EMA, na sigla em inglês) quanto a Organização Mundial da Saúde (OMS) argumentam que os benefícios da vacina da AstraZeneca superam os riscos associados, por isso recomendam que se continue a administrá-la.

    Tema:
    Pandemia de COVID-19 no mundo em meados de março de 2021 (83)

    Mais:

    Anvisa aprova medicamento Remdesivir contra a COVID-19 e o uso definitivo da vacina de Oxford
    COVID-19: 30 milhões de doses de vacina estão estocadas nos EUA podendo estragar, afirma NYT
    Fiocruz anuncia início da produção local em larga escala da vacina de Oxford/AstraZeneca
    Itália barra exportação de 250 mil vacinas da AstraZeneca para a Austrália
    COVID-19: 2 pessoas morrem na Coreia do Sul após tomar vacina da AstraZeneca
    Tags:
    The Guardian, República da Irlanda, Irlanda, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar