00:57 20 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    Pandemia da COVID-19 no mundo em meados de fevereiro de 2021 (110)
    153
    Nos siga no

    A Organização Mundial de Saúde (OMS) aprovou nesta segunda-feira (15) o uso emergencial da vacina contra a COVID-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford, em parceria com a farmacêutica AstraZeneca.

    O anúncio foi feito pelo diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, durante uma coletiva de imprensa transmitida pelas redes sociais.

    "Hoje a OMS concedeu a permissão de uso de emergência para duas versões da vacina Oxford/AstraZeneca contra a COVID-19, dando luz verde para que essas vacinas sejam adquiridas globalmente por meio da COVAX Facility", afirmou Tedros.

    Segundo o diretor-geral, os imunizantes analisados são fabricados pelo Instituto Serum, na Índia, e pelo SKBio, na Coreia do Sul.

    "Embora ambas as empresas estejam produzindo a mesma vacina, por serem feitas em unidades de produção diferentes, elas exigiram análises e aprovações separadas", disse.
    Tedros Adhanom Ghebreyesus, Diretor Geral da Organização Mundial da Saúde (OMS) fala durante a 148ª sessão do Conselho Executivo sobre o surto de COVID-19 em Genebra, Suíça
    © REUTERS / Christopher Black/WHO
    Tedros Adhanom Ghebreyesus, Diretor Geral da Organização Mundial da Saúde (OMS) fala durante a 148ª sessão do Conselho Executivo sobre o surto de COVID-19 em Genebra, Suíça

    COVAX Facility é uma iniciativa liderada pela OMS, que une mais de 150 países, criada para impulsionar o desenvolvimento e a distribuição das vacinas contra a COVID-19.

    "A lista de uso de emergência da OMS avalia e garante a qualidade, segurança e eficácia das vacinas e é um pré-requisito para que os imunizantes sejam distribuídos pela COVAX Facility", completou Tedros.

    Na semana passada, a diretoria da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu que as vacinas adquiridas pelo Ministério da Saúde através da COVAX Facility não precisarão de registro e de autorização temporária de uso emergencial para serem aplicadas no Brasil.

    Tema:
    Pandemia da COVID-19 no mundo em meados de fevereiro de 2021 (110)

    Mais:

    COVID-19 pode ter sido mais ampla em dezembro de 2019 do que se pensava, diz OMS
    Vacinação contra COVID-19 no RJ será suspensa por falta de doses, afirma prefeito
    Após falta de oxigênio, Amazonas registra aumento de 41% em mortes por COVID-19
    Reino Unido apoia os EUA exigindo maior clareza na investigação sobre a COVID-19 na China
    Bactérias surgidas devido à COVID-19 podem ser tratadas com componentes originários do Ártico
    Tags:
    imunização, imunidade, pandemia, Universidade de Oxford, vacinação, vacina, Organização Mundial da Saúde (OMS), novo coronavírus, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar