07:10 08 Março 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    0 30
    Nos siga no

    Quase 60 manifestantes foram detidos nos protestos contra o primeiro-ministro armênio, Nikol Pashinyan, ocorridos na capital Erevan, na última segunda-feira (22). A informação foi divulgada por um porta-voz da polícia local.

    "Cerca de 57 pessoas foram levadas para as delegacias", disse um representante da polícia local à Sputnik.

    Os manifestantes se reuniram em frente aos prédios do governo no centro de Yerevan para exigir a renúncia do primeiro-ministro armênio. No entanto, todas as entradas do prédio foram isoladas por policiais.

    Várias prisões com uso da força estão sendo feitas pela polícia apesar do protesto pacífico.

    Vale dizer que a polícia está em grande número e muitos deles estão com roupas civis.​

    A capital armênia tem sido palco de protestos desde novembro passado. Os manifestantes pedem a saída do primeiro-ministro por assinar um acordo de cessar-fogo com o Azerbaijão, que encerrou as hostilidades em Nagorno-Karabakh.

    O acordo resultou na perda da maioria dos territórios controlados pela república autoproclamada de Nagorno-Karabakh e implantação de pacificadores russos na região.

    Dezenas de partidos da oposição no país se uniram para pressionar Pashinyan a renunciar ao cargo e nomear o ex-primeiro-ministro Vazgen Manukyan para chefiar o governo. Em dezembro, Pashinyan convocou forças políticas para consultas sobre as eleições parlamentares antecipadas planejadas para 2021, mas a oposição quer que o primeiro-ministro renuncie antes das eleições.

    Mais:

    Polícia da Armênia detém manifestantes que exigiam renúncia do primeiro-ministro
    Oficial russo morre em operação de remoção de minas em Nagorno-Karabakh
    Armênia vai se beneficiar de acordo de paz em Nagorno-Karabakh, diz Erdogan
    Militares refutam relatos sobre 'cerco' a soldados russos em Nagorno-Karabakh
    Mais de 500 refugiados retornaram a Nagorno-Karabakh nas últimas 24 horas, diz Rússia
    Tags:
    primeiro-ministro, renúncia, cessar-fogo, protestos, Rússia, Azerbaijão, Nagorno-Karabakh, Armênia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar