04:59 01 Março 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    Situação mundial da COVID-19 no início de fevereiro de 2021 (80)
    2110
    Nos siga no

    Irmã Andrée, que completa 117 anos na próxima quinta-feira (11), teve apenas sintomas leves. No total, 80 moradores da casa de repouso onde ela vive, na França, foram contaminados, e dez não sobreviveram.

    A francesa Lucile Randon, conhecida como irmã Andrée, se curou da COVID-19 aos 116 anos. Ela testou positivo para o novo coronavírus no dia 16 de janeiro na casa de repouso onde vive, em Toulon, na França, e estava isolada até esta segunda-feira (8).

    "Eu nem sabia que tinha", disse a freira aos jornalistas, de acordo com o jornal francês Lavoix Du Nord.

    A irmã Andrée, que completa 117 anos na próxima quinta-feira (11), é segunda pessoa mais velha do mundo, atrás apenas da japonesa Kane Tanaka, de 118 anos.

    Agente da Saúde atende paciente infectado pelo novo coronavírus em UTI de hospital de Marseille, França, 8 de fevereiro de 2021
    © REUTERS / Eric Gaillard
    Agente da Saúde atende paciente infectado pelo novo coronavírus em UTI de hospital de Marseille, França, 8 de fevereiro de 2021

    Segundo a equipe médica, ela não apresentou sintomas graves, como a maioria dos infectados pela doença na casa de repouso onde mora. No local, 81 idosos testaram positivo para a COVID-19, e dez morreram.

    Cega e parcialmente surda, a freira é reconhecida pela caridade. Ela se converteu ao catolicismo aos 27 anos e cuidou de idosos e órfãos abandonados após a Segunda Guerra Mundial durante 28 anos.

    Tema:
    Situação mundial da COVID-19 no início de fevereiro de 2021 (80)

    Mais:

    'Ano infernal': jovem sobrevive a tumor cerebral, 2 meningites, 2 sepses e COVID-19
    COVID-19 tornou evidente dependência mundial em relação à China, analisa especialista
    Brasil: senador José Maranhão morre aos 87 anos após contrair COVID-19
    Tags:
    idosos, cura, Toulon, França, novo coronavírus, pandemia, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar