09:01 28 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    220
    Nos siga no

    Após nova onda de protestos no domingo (25), os agentes da lei bielorrussos teriam jogado granadas de atordoamento e disparado balas de borracha para dispersar protestos não autorizados, segundo testemunhas.

    O Ministério do Interior da Bielorrússia declarou que no domingo (25) os órgãos executivos registraram 19 ações de protesto em várias regiões do país, durante as quais mais de 500 pessoas foram detidas.

    Participantes de comício de oposição em Minsk, Bielorrússia, 25 de outubro de 2020
    © Sputnik / Viktor Tolochko
    Participantes de comício de oposição em Minsk, Bielorrússia, 25 de outubro de 2020

    "Ontem, 25 de outubro, foram registradas 19 ações de protesto em vários pontos do país. O Ministério do Interior [bielorrusso] tomou as medidas necessárias para manter a ordem e garantir a segurança pública na realização dos protestos", afirmou Olga Chemodanova, porta-voz do ministério bielorrusso no seu canal no Telegram.

    Policiais detêm oposicionistas em Minsk, Bielorrússia, 25 de outubro de 2020
    © Sputnik / Viktor Tolochko
    Policiais detêm oposicionistas em Minsk, Bielorrússia, 25 de outubro de 2020

    O órgão público não especificou os meios especiais utilizados durante os eventos, mas testemunhas em redes sociais e na mídia local relataram uso de granadas de atordoamento e balas de borracha, que teriam causado vítimas entre os manifestantes. Também houve detenções na Rua Orlovskaya em Minsk, perto do centro da cidade, onde a oposição realizava uma ação de protesto.

    "Ao todo, ontem [25], foram detidas 523 pessoas pela violação da legislação sobre eventos massivos, 160 delas em Minsk", informou a assessoria de imprensa do ministério, que também relatou a instauração de processos judiciais contra 352 pessoas.

    Segundo disse, os comícios foram realizados em todos os centros regionais da Bielorrússia, durante os quais policiais registraram "fatos isolados de ações radicais: queima de pneus na Rua Kalvariyskaya e na Rua M. Bogdanovich em Minsk, bem como incêndio em quiosques de venda de tabaco em Gomel, sudeste do país".

    Participantes de comício de oposição em Minsk, Bielorrússia, 25 de outubro de 2020
    © Sputnik / Viktor Tolochko
    Participantes de comício de oposição em Minsk, Bielorrússia, 25 de outubro de 2020

    Na última noite (25), a ex-candidata à presidência e líder da oposição Svetlana Tikhanovskaya publicou um apelo, em que anunciou o início da "greve nacional" na segunda-feira (26).

    Mais:

    Dezenas de pessoas são detidas na Bielorrússia em meio a protestos
    Minsk põe Tikhanovskaya na lista de procurados interestatais por tentativa de golpe de Estado
    Forças de segurança bielorrussas detêm correspondente da Sputnik que cobria protestos em Minsk
    Tags:
    Telegram, Minsk, Bielorrússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar