21:16 30 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    5826
    Nos siga no

    Os ministros da Defesa dos países membros da OTAN concordaram com um pacote de medidas para responder às crescentes capacidades de mísseis da Rússia, revelou nesta quarta-feira (17) o secretário-geral da aliança, Jens Stoltenberg.

    "Os ministros da Defesa da OTAN concordaram com um pacote equilibrado de medidas que respondem ao vasto e crescente arsenal de mísseis com capacidade nuclear da Rússia", escreveu Stoltenberg em sua conta no Twitter.

    Ele acrescentou que a OTAN não quer uma nova corrida armamentista, mas manterá "sua forte dissuasão e defesa".

    Stoltenberg também pediu à China que se junte aos esforços internacionais de controle de armas.

    "Como uma grande potência militar, a China tem uma responsabilidade especial. É hora da China também participar do controle mundial de armas", avaliou o secretário-geral.
    O secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, escuta o discurso do presidente Ashraf Ghani durante uma coletiva de imprensa no palácio presidencial em Cabul, Afeganistão, 29 de fevereiro de 2020
    © AP Photo / Rahmat Gul
    Secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, escuta discurso no Afeganistão

    Entre os dias 17 e 18 de junho, uma reunião ministerial da OTAN ocorre em Bruxelas, onde, entre outras coisas, são discutidas as crescentes capacidades de mísseis da Rússia.

    Em fevereiro passado, Stoltenberg também abordou o desafio colocado pelos sistemas de mísseis russos, convencionais e nucleares, tanto os já implantados quanto os em desenvolvimento.

    O secretário-geral da OTAN expressou particular preocupação com o novo míssil russo SSC-8 (9M729), que ele diz constituir uma violação do Tratado INF e levou ao desaparecimento do acordo no ano passado.

    Em 8 de junho, Stoltenberg declarou que a Rússia investe fortemente em suas capacidades militares e, em particular, em seu arsenal nuclear em meio à crise do Tratado INF sobre mísseis de médio e curto alcance.

    Mais:

    Aliados da OTAN apelam aos EUA para que não se retirem do Tratado de Céus Abertos, diz mídia
    Manobras navais da OTAN comandadas de Portugal iniciam no Báltico perto da Rússia (VÍDEO)
    Rússia venceria forças da OTAN no Báltico em menos de 60 horas, segundo Forbes
    Tags:
    controle de armas, Defesa, segurança, OTAN, Jens Stoltenberg, Tratado INF, China, Rússia, Estados Unidos, Europa
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar