09:34 22 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    14829
    Nos siga no

    No dia 16 de março serão revelados ao mundo os nomes de 96 veteranos ex-nazistas letões que se escondem em vários países, incluindo Brasil, EUA, Reino Unido, Canadá, Austrália, Letônia e Argentina.

    Serão anunciados pela primeira vez em Moscou, em relatório a apresentar na sede da agência de notícias Rossiya Segodnya, os nomes de veteranos da Legião Letã (formação das Waffen-SS alemãs durante a Grande Guerra pela Pátria) que agora vivem em vários países.

    Crime de guerra

    Um dos autores do estudo, o diretor da fundação russa Memória Histórica, Aleksandr Dyukov, disse à Sputnik que as subunidades que fizeram parte desta formação nazista letã cometeram uma série de crimes durante a Segunda Guerra Mundial que podem ser classificados como crimes de guerra e crimes contra a humanidade.

    Segundo ele, foram as unidades punitivas letãs que massacraram a população civil das povoações de Zhestyanaya Gorka e Chornoe entre 1941 e 1943. Em maio de 2019, a comissão de inquérito russa abriu um processo criminal por genocídio.

    Dyukov comunicou que revelaria os nomes de 96 ex-nazistas, 32 dos quais vivem atualmente nos Estados Unidos, 21 na Letônia, 19 na Austrália, 15 no Canadá, quatro no Reino Unido, três no Brasil e dois na Argentina. 

    Nesses países eles estabeleceram a sua própria organização, chamada Falcões de Daugava.

    O historiador observou que os idosos veteranos das SS recebem pensões do Ministério da Defesa da Letônia e condecorações das mãos dos chefes de Estado.

    Capitulação do regime nazista

    Os destacamentos punitivos foram formados durante a Segunda Guerra Mundial pelo Comando da Alemanha nazista em território letão para combater os guerrilheiros e retaliar contra a população que apoiava o Exército Vermelho soviético.

    Os russos se referem à Grande Guerra pela Pátria como o período entre 22 de junho de 1941 – o início da invasão alemã da União Soviética – e a capitulação do regime nazista em maio de 1945.

    Aldeia de Zhestianaya Gorka, onde especialistas exumaram os restos mortais de cerca de 500 pessoas que foram vítimas dos destacamentos repressivos formados pelos letões leais ao regime nazista
    © Sputnik
    Aldeia de Zhestianaya Gorka, onde especialistas exumaram os restos mortais de cerca de 500 pessoas que foram vítimas dos destacamentos repressivos formados pelos letões leais ao regime nazista

    O povo soviético defendeu sua pátria com heroísmo em um confronto que durou 1.418 dias e terminou com a derrota completa do bloco fascista em 9 de maio de 1945, conhecido como o Dia da Vitória.

    Mais:

    Hitler na Argentina? Conheça a história do hotel misterioso que teria sido visitado pelo ditador
    Roosevelt e Churchill pretendiam invadir Açores, segundo especialista
    EUA teriam participado de plano para realojar nazistas na América, diz historiador
    Tags:
    crime de guerra, Segunda Guerra Mundial, Brasil, nazista, Letônia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar