08:59 25 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    19919
    Nos siga no

    A revista alemã Der Spiegel postou numa rede social que Auschwitz teria sido liberado pelo exército dos EUA.

    A conhecida revista de referência alemã – a mais lida na Alemanha e uma das de maior tiragem na Europa, muito conhecida por seu jornalismo investigativo – cometeu uma gafe que surpreendeu todo o mundo.

    Assim, segundo indicou a Der Spiegel na referida postagem, o tristemente célebre campo de concentração nazista de Auschwitz teria sido libertado pelo Exército norte-americano.

    Estamos assistindo em tempo real a como o império americano e seus subcontratados imperialistas na Europa estão reescrevendo a história da Segunda Guerra Mundial.

    Esse grande jornal alemão Der Spiegel afirmou falsamente que foi o Exército dos EUA que libertou Auschwitz. Mentira! Foi o Exército Vermelho Soviético!

    Os primeiros a detectarem o erro foram os leitores de língua alemã, recorrendo a capturas de tela para exporem a falha. Constatando o lapso, a revista publicou um pedido de desculpas "por um erro extremamente embaraçoso", considerando as críticas que lhe foram formuladas uma "justa penalidade".

    A Der Spiegel retificou então a postagem, indicando ter sido na realidade o Exército Vermelho da URSS a libertar Auschwitz a 27 de janeiro de 1945 do jugo nazista.
    Vítimas do Holocausto marcham por uma das estreitas veredas do campo de concentração de Auschwitz (foto de arquivo)
    © AFP 2020 / Yad Vashem Archives
    Vítimas do Holocausto marcham por uma das estreitas veredas do campo de concentração de Auschwitz (foto de arquivo)

    O Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto – designação dada ao genocídio nazista que ceifou a vida de milhões de pessoas durante a II Guerra Mundial, comemora-se a 27 de janeiro. Foi precisamente neste dia que o Exército Vermelho libertou o "campo da morte".

    Em Auschwitz, sito na atual Polônia e um dos símbolos mais tristemente marcantes da barbárie nazista, perderam a vida cerca de 1,4 milhão de pessoas, das quais 1,1 milhão eram judeus. Foi transformado em museu em 1947 e é desde 1979 Patrimônio Mundial da UNESCO.

    Mais:

    Papa Francisco diz que populismo alimenta o antissemitismo
    Presidente italiano adverte: não se pode baixar a guarda diante do fascismo
    Alemanha pede que União Europeia criminalize negar o Holocausto
    Tags:
    Segunda Guerra Mundial, Grande Guerra Patriótica, Exército Vermelho, Memorial de Auschwitz, Auschwitz, holocausto, Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar