10:16 18 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Soldados franceses das forças especiais (imagem de arquivo)

    Tropas da França correm risco de ser cercadas na Síria, segundo general francês

    © AFP 2019 / JEAN-PIERRE CLATOT
    Europa
    URL curta
    25484
    Nos siga no

    Em entrevista à Sputnik Mundo, o general francês Dominique Trinquand analisou a situação das tropas de seu país que estão presentes na Síria.

    Desde o início da guerra civil síria, o conflito tem sido marcado pela presença e operações de diversas forças estrangeiras. Entre essas forças configuram tropas francesas, em um novo capítulo do interesse histórico de Paris pela Síria.

    Durante a guerra civil, a França apoiou os opositores ao governo de Assad.

    Com o recente início da operação turca Fonte de Paz, a França se juntou ao grupo de países que criticam a atividade de Ancara na Síria.

    Comentando a situação das forças francesas na Síria em entrevista à Sputnik Mundo, o general francês e especialista em relações internacionais e defesa, Dominique Trinquand, destacou a posição de seu país no conflito.

    "A postura da França é a seguinte: a incursão da Turquia na Síria é inaceitável. Há que apoiar os curdos. Não podem ser abandonados. É necessário tomar medidas para garantir a segurança de nossas tropas", disse o general.

    Para o especialista, as forças francesas se tornaram mais vulneráveis com a retirada das forças americanas do norte da Síria. A razão seria a dependência dos militares de Paris em relação à logística do Pentágono na região.

    Além disso, com a maior concentração de tropas turcas e sírias no norte do país, o risco de ataque contra as posições francesas aumenta.

    Risco de ataque

    No último dia 13, a França decidiu cortar seu fornecimento de equipamento militar à Turquia. A decisão seria um protesto em relação à operação Fonte de Paz. Temendo uma retaliação turca, Dominique Trinquand acredita que haja o risco de um ataque turco contra as forças de Paris.

    Contudo, o militar destaca o preparo das tropas francesas, dizendo que estas "seriam capazes de aniquilar vários blindados".

    Mesmo assim, as posições francesas tendem a serem cercadas pelo avanço sírio do sul e a operação turca a partir do norte.

    Sendo assim, os militares franceses podem ficar entre a espada e a parede, ou seja, entre os exércitos turco e sírio.

    Futuro depende da Rússia

    Nos últimos anos, a Rússia tem se tornado mais próxima da Turquia, ao passo que manteve seu apoio ao governo de Assad no conflito sírio.

    Com a maior probabilidade de confrontamento entre Ancara e Damasco, a Rússia configura como uma força mediadora capaz de encontrar uma solução.

    Pensando assim, o general francês vê a Rússia como peça fundamental para influenciar tanto a Turquia quanto a Síria.

    "Moscou terá a última palavra nesta situação. A Rússia é um aliado tanto da Turquia quanto da Síria. Já que seus aliados estão se enfrentando entre si, a chave [da crise] está nas mãos do presidente russo, Vladimir Putin", afirmou Trinquand.

    Mais:

    França se recusa a assinar acordo UE-Mercosul nas 'condições atuais'
    Noruega defende não expulsar Turquia da OTAN por ofensiva na Síria
    Força Aérea dos EUA realiza operação militar na Síria para destruir munições 'deixadas para trás'
    Tags:
    operação militar, Turquia, Exército da França, Guerra Civil Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar