10:05 23 Janeiro 2018
Ouvir Rádio
    Mulher votando no referendo sobre a autonomia de Vêneto, 22 de outubro de 2017

    Opinião: referendos em Vêneto e Lombardia apontam anacronismo na Europa

    © REUTERS/ Manuel Silvestri
    Europa
    URL curta
    113

    Mais de 98% dos moradores de Vêneto votaram a favor da autonomia da região. A situação parecida ocorreu na região italiana de Lombardia. O especialista em ciências políticas, Dmitry Zhuravlev, em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik opinou por que essas regiões visam obter a independência.

    Durante o referendo regional que veio à tona no domingo (22), mais de 98% dos cidadãos do Vêneto se expressaram a favor da autonomia da região situada no Norte da Itália, informou a comissão eleitoral local.

    No total, o referendo contou com participação de mais de 57% eleitores locais.

    O presidente da região, Luca Zaia, afirmou à Sputnik: "É uma decisão histórica, que vai ter consequências significativas. Mais de dois milhões de cidadãos votaram a favor da autonomia."

    Ao mesmo tempo, em referendo consultivo na região italiana de Lombardia, 95% dos moradores votaram pelo crescimento da autonomia da região; a participação do referendo excedeu 40%, afirmou o governador da região, Roberto Maroni.

    Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, o especialista em ciências políticas, Dmitry Zhuravlev, falou sobre por que essas regiões têm como objetivo conseguir a independência.

    "Por um lado, era esperado que um grande número votasse a favor da autonomia, por outro, nem tanto. O referendo da Catalunha acabou de acontecer, é evidente que seus resultados não sejam cumpridos, por isso houve uma incerteza entre as pessoas no que diz respeito a votar por uma coisa que possa a vir a ser muito perigosa. Mas a tendência da região em se tornar independente é de muito tempo. Em conformidade com a União Europeia unida, regiões já não precisam de Estados. A União Europeia concede todas as vantagens proporcionadas por um governo: ausência de fronteiras, alfândegas, circulação livre e economia unida. Por isso, regiões mais ricas e mais desenvolvidas acreditam que seriam melhores sem esses Estados", explicou o especialista.

    Para o cientista político, essa será a evolução dos acontecimentos:

    "O desejo psíquico-cultural em se separar sempre foi presente nessas regiões da Itália e, hoje em dia, ela já não está presa a razões econômicas. É difícil prever consequências, pois tudo vai depender da reação do governo italiano, e de como as autoridades da região vão interpretar esta independência: saída imediata e criação do próprio Estado ou início de conversações com o governo italiano sobre novo estatuto da região. Trata-se de outro sinal alarmante, que prejudica a concepção moderna sobre governo, tornando essa tendência anacrônica na Europa", ressaltou Dmitry Zhuravlev.

    Mais:

    13 mil robôs no Twitter publicaram mensagens pró-Brexit durante referendo, revela pesquisa
    Curdistão: Após ordem de prisão por referendo, Iraque e Irã planejam 'grande ataque'
    Ameaças? Vice-premiê da Turquia pede que Curdistão anule referendo de independência
    Tags:
    autonomia, independência, referendo, votação, Lombardia, Vêneto, Itália
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik