08:57 15 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Navio de guerra da Noruega, Fridtjof Nansen

    Com a 'ameaça russa' no ar, Grã-Bretanha e Noruega reforçam cooperação em Defesa

    © flickr.com/ Metziker
    Europa
    URL curta
    1140
    Nos siga no

    Em meio a acusações do Ocidente sobre uma Rússia “mais assertiva” no norte da Europa, a Grã-Bretanha e a Noruega, aliadas da OTAN, acordaram nesta quinta-feira (10) reforçar a cooperação bilateral de defesa, a qual incluirá vigilância marítima e exercícios conjuntos em solo norueguês.

    Os dois países assinaram o acordo durante uma visita do secretário britânico de Defesa, Michael Fallon, à região ártica da Noruega, segundo informou o Ministério da Defesa norueguês, em comunicado citado pela Reuters.

    "Dada a nossa proximidade geográfica e desafios comuns em relação à situação estratégica no Atlântico Norte, estamos bem posicionados para a cooperação futura na vigilância marítima", disse a ministra da Defesa norueguesa, Ine Eriksen Soereide. "A manutenção da capacidade de vigilância e de operações antissubmarinas é importante para a OTAN e para os aliados próximos", acrescentou.

    A declaração de Noruega não mencionou especificamente a “ameaça militar russa” como a causa para o aumento da cooperação, mas em entrevista à Reuters em 2015, Soereide disse que o país estava preocupado com o que ela chamou de "projeção óbvia de poder" por parte da Rússia na região do Mar Báltico, onde o número de voos militares russos teria se multiplicado por três entre 2013 e 2014.

    Entretanto, cabe notar que, antes disso, a OTAN já vinha realizando voos militares há anos perto das fronteiras russas. Para Moscou, é o Ocidente que assume uma postura agressiva em relação à Rússia, o que fica claro com o reforço da presença militar da aliança no Leste Europeu e com os planos dos EUA de implantar um escudo antimíssil no continente, entre outras medidas consideradas provocativas pelo Kremlin.

    Mais:

    Exército sueco iniciará alistamento de mulheres 'devido a medo da Rússia'
    Suécia flerta com OTAN e exercícios militares previstos visam conter 'ameaça' russa
    Finlândia desconfia da Rússia e tenta se aproximar ainda mais da OTAN
    Tags:
    acordo, defesa, cooperação, vigilância, submarinos, navios, voos, exercícios militares, presença militar, ameaça russa, OTAN, Ine Eriksen Soereide, Michael Fallon, Atlântico Norte, EUA, Mar Báltico, Rússia, Noruega, Grã-Bretanha, Europa
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar