03:53 14 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Economia
    URL curta
    331
    Nos siga no

    Mais uma vez, os mercados abriram em turbulência devido ao coronavírus: nesta segunda-feira (16), o dólar operava em alta pela manhã no Brasil, voltando a chegar a casa dos R$ 5. 

    Além disso, o nervosismo fez as bolsas caírem ao redor do mundo, enquanto o preço do barril do petróleo Brent desabava quase 10%. 

    A tensão ocorre após o Federal Reserve (Fed), o banco central americano, baixar os juros novamente. As taxas foram reduzidas para a faixa entre 0% e 0,25%, segundo corte em duas semanas. 

    Por outro lado, diversos países estão fechando suas fronteiras para tentar conter a pandemia do novo coronavírus, como por exemplo a Argentina, o que provocará uma diminuição do comércio mundial. 

    Na Bolsa de Valores de São Paulo, o dólar subia 2,09% no início da manhã. Às 9h35, a moeda americana era cotada a R$ 4,9131. Na máxima, chegou a R$ 4,9882.

    Produção industrial da China caiu 13,5%

    Na semana passada, o dólar bateu a marca dos R$ 5 na cotação intradiária, maior valor da história de fechamento nominal, sem contar a inflação. No ano, a alta acumulada é de pouco mais de 20%. 

    Na China, a produção industrial caiu 13,5% nos dois primeiros meses do ano em comparação com o mesmo período de 2019. 

    Além disso, as principais bolsas do mundo enfrentam mais um dia de forte queda. Os principais índices de Frankfurt, Madri, Paris e Londres caiam entre 7% e 10%. 

    Mais:

    Coronavírus se espalha pela África e países esperam pelo pior
    Brasil chega a 200 casos do novo coronavírus
    Rio tem 1° caso grave de paciente com coronavírus
    Sanções dos EUA aprofundam efeitos do coronavírus no Irã, diz analista americano
    Tags:
    petróleo, EUA, FED, Brasil, real, câmbio, Dólar, Ibovespa, bolsa de valores, mercados, novo coronavírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar