14:51 20 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    5392
    Nos siga no

    A Zhongtian Feilong criou um protótipo que pode ser usado para ataques de precisão e para fazer parte de um grupo de drones para reconhecimento e vigilância. O veículo aéreo não tripulado teria características semelhantes ao drone norte-americano B-21 Raider, porém mais barato.

    Um fabricante chinês de drones anunciou um protótipo de veículo aéreo não tripulado que pode rivalizar com o B-21 Raider, que está sendo desenvolvido para a Força Aérea dos Estados Unidos.

    A empresa Zhongtian Feilong, com sede em Xian, disse em um comunicado, nesta terça-feira (20), que o protótipo chamado Feilong-2 ou Flying Dragon-2 foi recentemente concluído e seria semelhante à versão norte-americana em velocidade, alcance de ataque, carga útil e furtividade, com as vantagens de ser mais barato e durar mais tempo.

    O relatório informa que o novo drone subsônico pode ser usado para ataques de precisão em locais como centros de comando do inimigo e pistas de pouso militares e porta-aviões. O Feilong-2 também pode ser usado com um grupo de drones para realizar reconhecimento e vigilância, ataque de saturação ou avaliação de danos.

    ​Drone chinês de ataque Feilong-2.

    O drone chinês seria projetado para identificar alvos usando radares ópticos e ativos em condições climáticas difíceis, e os recursos furtivos incluem um revestimento especial para reduzir o reflexo, de acordo com reportagem do South China Morning Post.

    O desenvolvedor chinês de drones Zhongtian Feilong afirma que construiu um protótipo para drones furtivos que poderiam enfrentar o B-21 Raider da Força Aérea dos Estados Unidos.

    A carga útil interna foi anunciada como de seis toneladas e um alcance operacional de sete mil quilômetros, podendo voar a uma altitude de quase 15 quilômetros e atingindo velocidade máxima de até 780 quilômetros por hora - quase a velocidade de um avião de passageiros comercial.

    De acordo com seu desenvolvedor, o drone chinês chega perto do B-21 Raider da fabricante norte-americana Northrop Grumman em termos de velocidade, alcance de ataque, carga útil e capacidades furtivas, mas Zhongtian Feilong afirma que seu veículo aéreo não tripulado é mais barato de produzir e deve durar mais.

    "Isso significa que o B-21 norte-americano já ficou para trás, antes mesmo de entrar em serviço", disse o comunicado da empresa chinesa.

    O B-21 Raider é um bombardeiro estratégico furtivo avançado, de alcance muito longo e de carga útil pesada, capaz de lançar armas convencionais e termonucleares. Espera-se que entre em serviço por volta de 2026.

    A Força Aérea dos EUA planeja aposentar seus bombardeiros supersônicos convencionais de longo alcance B-1B para dar lugar aos B-21. Os B-1B têm sido usados para missões, incluindo reconhecimento sobre o mar do sul da China e próximo ao espaço aéreo chinês, de acordo com o grupo de estudos baseado em Pequim.

    Drones, que podem ser usados para realizar ataques contra inimigos enquanto minimizam as próprias baixas militares, tornaram-se cada vez mais importantes para as forças de defesa em todo o mundo, e desenvolvê-los é uma parte fundamental da rivalidade entre Pequim e Washington.

    Mais:

    VÍDEO mostra drone 'kamikaze' russo eliminando alvos na Síria
    'Cúpula impenetrável': Exército da Rússia estreia sistema de guerra eletrônica contra drones
    Controle de rede de drones: fonte revela futura capacidade dos caças Su-57 de 5ª geração da Rússia
    Tags:
    drone, China, EUA, Forças Armadas dos EUA, lançamento
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar