22:05 24 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    21002
    Nos siga no

    O Centro Nacional de Gerenciamento de Defesa do Ministério da Defesa da Rússia anunciou neste sábado (10) que um caça MiG-31 russo interceptou um avião de espionagem norte-americano sobre o oceano Pacífico.

    "A fim de identificar o alvo aéreo e prevenir a violação da fronteira nacional da Federação da Rússia, foi colocado no ar um caça MiG-31 das aeronaves de defesa aérea de serviço das forças do Distrito Militar do Leste", diz o comunicado do órgão.

    De acordo com o anúncio oficial, "a tripulação do caça russo identificou o alvo aéreo como um avião de reconhecimento estratégico RC-135 da Força Aérea dos EUA e acompanhou-o sobre as águas do oceano Pacífico".

    Nota-se que, depois de viragem do avião militar estrangeiro longe da fronteira do país, o caça russo voltou com sucesso ao aeródromo de baseamento.

    "O voo do caça russo foi exercido em estrita conformidade com as regras internacionais de utilização do espaço aéreo. A violação da fronteira nacional da Federação da Rússia não foi permitida", detalhou o comunicado do Ministério.

    O MiG-31 é um caça interceptador supersônico de longo alcance. O avião destina-se a patrulhamentos de longa duração e a combater aviões de reconhecimento, bombardeiros estratégicos e alvos de voo baixo, sendo capaz de simultaneamente acompanhar até dez alvos aéreos e atingir seis deles.

    O caça interceptador de longo alcance MiG-31BM atinge a velocidade máxima de 3.000 quilômetros por hora em altitudes de até 30 quilômetros. O armamento do caça é capaz de abater mísseis de cruzeiro.

    Mais:

    Rússia aumenta força de ataque hipersônica aperfeiçoando caças-interceptadores MiG-31, aponta Forbes
    Caça russo MiG-31 intercepta avião de reconhecimento da Noruega no mar de Barents
    Novo alvo: caças russos MiG-31 serão utilizados contra mísseis balísticos
    Tags:
    MiG-31, Rússia, RC-135V, avião, avião espião, interceptação
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar