14:39 21 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    3244
    Nos siga no

    O foco principal da modernização do Exército dos EUA é seu programa de desenvolvimento do míssil de longo alcance LRPF, que visa proporcionar ao armamento de mísseis e artilharia desse serviço militar capacidade de conduzir ataques superfície-superfície a distâncias cada vez mais elevadas.

    No entanto, segundo Timothy Ray, general da Força Aérea dos EUA, essa é uma ideia idiota.

    "Por que mantemos uma ideia brutalmente onerosa se nós, como Departamento [de Defesa], não temos dinheiro para fazer isso?", questionou Ray, que chefia o Comando Global de Ataque da Força Aérea dos EUA, durante seu discurso nesta quinta-feira (1º) no podcast Aerospace Advantage organizado pelo Instituto Mitchell.

    "Vários congressistas têm me perguntado, e sabem o quê? Sinceramente, eu acho que é estúpido", disse alto comandante dos EUA. "Eu só acho que é uma ideia estúpida ir e investir essa quantidade de dinheiro que recria algo que o serviço já domina a fundo e que já estamos fazendo atualmente. Por que raio você tentaria fazer isso? Eu tento fazer com que minha linguagem não seja um pouco mais expressiva do que ela é, mas poupem-me", avança portal Defense News.

    Especificamente, Ray defendeu que seria difícil vender as novas armas do Exército aos parceiros dos EUA na Europa e na Ásia, enquanto os bombardeiros têm uma "capacidade comprovada" de atingir alvos a grande distância.

    De acordo com o secretário do Exército Ryan McCarthy, o serviço já gastou US$ 1,3 bilhão (R$ 7,4 bilhões) em seu programa LRPF.

    Além disso, no mês passado ele pediu aos legisladores que aprovassem gastos de mais US$ 1,7 bilhão (R$ 9,7 bilhões) para o ano fiscal de 2021 sendo que US$ 800 milhões (R$ 4,5 bilhões) deste valor seriam usados para desenvolvimento de uma bateria de mísseis hipersônicos lançados do solo.

    Ao todo, o Exército dos EUA prevê gastar US$ 10 bilhões (R$ 57 bilhões) no desenvolvimento de LRPF nos próximos dez anos.

    Mais:

    Especialista militar revela estratégia de defesa da Rússia contra míssil hipersônico dos EUA
    EUA planejam equipar neste ano 1ª unidade com capacidade hipersônica, mas sem mísseis até 2023
    EUA estão próximos de conduzir 1º voo de teste de novo míssil hipersônico, diz mídia
    Tags:
    orçamento militar, Pentágono, Exército dos EUA, armas hipersônicas, míssil hipersônico
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar