12:50 16 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    6521
    Nos siga no

    Lockheed Martin, a principal empresa fornecedora de armas do Pentágono, publicou recentemente um vídeo que mostra o novo drone Speed Racer criado pela sua divisão de desenvolvimento secreto Skunk Works.

    Stephen Trimble, especialista em defesa do portal Aviation Week, reparou no vídeo divulgado pela empresa dos EUA que mostra um veículo aéreo não tripulado (VANT) lançado de um avião, que se parece com um Beechcraft 1900D (C-12 Huron no serviço militar do EUA), abrindo as asas e iniciando o voo.

    Mais tarde, um porta-voz da Lockheed Martin confirmou ao especialista que o VANT que aparece no vídeo é o Speed Racer. O vídeo mostra uma "configuração que nossa equipe continua explorando para Speed Racer", disse porta-voz.

    Speed Racer é um drone em forma de míssil de cruzeiro ou um míssil de cruzeiro em forma de um drone, escreve Popular Mechanics. O portal explica que a combinação do avião C-12 com o Speed Racer poderia ser usada em dois cenários diferentes.

    ​Podemos revelar o Speed Racer: o projeto conhecido mais recente da Skunk Works. Ainda não sabemos muito sobre o Speed RAcer, mas o visual mostra que é um veículo aéreo não tripulado/míssil de cruzeiro lançado do ar. A plataforma de lançamento parece ser um Beech 1900, mas isso pode ser arbitrário.

    No primeiro como uma extensão de sensor voador da aeronave. Sendo um avião civil militarizado, C-12 tem falta de capacidade de manobra, velocidade e sistemas defensivos das aeronaves puramente militares. Em caso de conflito, ele pode ser forçado a se afastar do campo de batalha devido à ameaça dos sistemas de defesa antiaérea, como os russos S-400 e chineses HQ-9.

    "Um veículo aéreo não tripulado como Speed Racer, contudo, pode entrar no espaço aéreo inimigo com um pacote de sensores, enviando dados de volta para o C-12 que o lançou", aponta portal.

    Por outro lado, poderia ser usado como um míssil de cruzeiro. Speed Racer com uma ogiva altamente explosiva poderia permitir que o avião C-12 ataque um alvo inimigo sem ter que coordená-lo com outra aeronave.

    Se um C-12 puder transportar dois drones destes, um poderia penetrar em território inimigo em missão de espionagem, enquanto o segundo eliminaria alvos identificados com uma ogiva explosiva.

    Mais:

    EUA estão desenvolvendo drones de combate com lançadores de mísseis
    Drone russo comprovado em combate: Forbes elogia capacidades do versátil Orlan-10E
    'Sem precedentes': aviões espiões dos EUA conduzem 75 missões em fevereiro no mar do Sul da China
    Tags:
    Rússia, EUA, China, drone, míssil de cruzeiro, S-400 Triumf, tecnologia militar
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar