09:41 24 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    1836109
    Nos siga no

    O chefe do Comando Estratégico dos EUA (STRATCOM), almirante Charles A. Richard, atestou a possibilidade de guerra nuclear com a Rússia ou a China, em artigo na revista oficial do Instituto Naval dos EUA.

    O almirante nota que, desde o colapso da URSS, o Pentágono não teve que considerar a possibilidade de um aberto confronto militar com as potências nucleares, mas agora a situação mudou.

    "Existe uma possibilidade real de uma crise regional com a Rússia ou a China poder ser escalada rapidamente a um conflito envolvendo armas nucleares, se elas [Rússia e China] perceberem que uma derrota convencional ameaçaria o regime ou o Estado", ponderou o almirante.

    Segundo Richard, não se pode descartar uma situação em que um adversário decida usar armamento nuclear.

    Richard considera que, enquanto o Departamento de Defesa dos EUA focou no combate ao terrorismo, a Rússia e a China começaram a adotar uma política agressiva, desafiando normas internacionais por medidas de força sem precedentes desde a Guerra Fria. Tais ações, de acordo com o almirante norte-americano, não podem ficar sem resposta de Washington.

    Além disso, o almirante ressaltou o "reconfortante" crescimento das capacidades estratégicas russas e chinesas. Em particular, Richard descreveu detalhadamente a modernização do armamento nuclear da Rússia e o desenvolvimento das novas armas de Moscou.

    "Nós devemos competir ativamente para manter a agressão delas [Rússia e China] sob controle, cedendo as iniciativas delas [Rússia e China], arriscamos estar reforçando as percepções [sino-russas] de que os Estados Unidos não desejam ou são incapazes de responder, o que poderia encorajá-las ainda mais", concluiu o almirante.

    Mais:

    Chefe do Estado-Maior russo nomeia fatores que aumentam riscos de guerra nuclear
    Gorbachev: mudança política nos EUA é um bom momento para se rechaçar a guerra nuclear
    Líder norte-coreano pede 'dissuasão de uma guerra nuclear' e 'capacidades militares' mais fortes
    Tags:
    guerra nuclear, China, Rússia, Pentágono, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar