21:35 10 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    0 30
    Nos siga no

    Porta-voz do Departamento de Estado dos EUA confirmou na quarta-feira (27) que a administração Biden colocaria em pausa a venda de armas norte-americanas aos países estrangeiros. A decisão foi definida como uma revisão de rotina.

    De acordo com o funcionário, a revisão é uma "ação administrativa rotineira típica da maioria das transições", que demonstra "os nossos objetivos estratégicos de construir parceiros de segurança mais fortes, interoperáveis e capazes".

    "O Departamento [de Estado] está temporariamente pausando a implementação de algumas transferências e vendas de defesa pendentes dos EUA sob os programas de Vendas Militares Estrangeiras e Vendas Comerciais Diretas para permitir que a nova liderança tenha uma oportunidade de rever [os acordos]", disse o oficial à Sputnik.

    Porém, não foi especificado quais os negócios seriam suspensos. O repórter da defesa da agência Bloomberg, todavia, havia informado anteriormente que os contratos de venda de caças F-35 aos Emirados Árabes Unidos (EAU) e armas para a Arábia Saudita estavam entre eles.

    O governo dos EAU também firmou um acordo separado para comprar até 18 drones MQ-9B. Uma vez confirmada sua entrega, Washington poderia fechar a segunda maior venda dessas aeronaves não tripuladas a um único país, segundo fontes.

    Mais:

    China rejeita proposta de diálogo de Taiwan, acusando Taipé de 'truques baratos'
    EUA reforçarão Marinha indiana com vendas de armas em meio à tensão com China
    EUA impõem sanções ao setor de defesa do Irã por venda de armas convencionais
    Tags:
    F-35, Governo dos EUA, Joe Biden, Emirados Árabes Unidos, venda de armas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar