14:43 15 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    131137
    Nos siga no

    Em entrevista ao portal Vechernya Moskva, o diretor do Centro de Análise de Comércio Mundial de Armas, Igor Korotchenko, destacou a superioridade do caça russo Su-57 de quinta geração sobre o F-35 dos EUA.

    De acordo com o analista militar, a aeronave russa é uma obra-prima do ponto vista tecnológico.

    "Em qualquer situação de duelo com análogo norte-americano, seja F-22 ou F-35, o Su-57 tem mais chances de vencer tanto em uma batalha distante com disparos de mísseis como em um combate próximo de manobrabilidade", afirmou Korotchenko.

    O especialista militar ressaltou que o Su-57 russo dispõe de uma composição aerodinâmica mais avançada em comparação com o caça norte-americano F-35.

    "O F-35 é uma aeronave de classe leve, já o Su-57 pertence a uma classe mais pesada e possui maior potência de combate. F-35 nem se compara ao Su-57. Em termos de composição de armamento, em um combate de mísseis, Su-57 supera F-35. É como uma águia [Su-57] e uma coruja [F-35]", acrescentou.
     Su-57 caça russo de quinta geração
    © Sputnik / Yevgeny Biyatov
    Su-57 caça russo de quinta geração

    Korotchenko não deixou de observar a alta qualidade do complexo de radar de bordo com uma antena faseada instalado no caça russo de quinta geração. Na opinião de Korotchenko, este detalhe garante a alta eficiência de busca de mísseis de longo alcance.

    Recentemente, a Força Aeroespacial da Rússia recebeu seu primeiro caça Su-57, produzido em série, que foi incorporado a um agrupamento aéreo do Distrito Militar do Sul.

    Mais:

    Argélia é 1º país do continente africano a comprar caças russos de 5ª geração Su-57
    Se Israel bloquear venda de F-35 aos Emirados, Abu Dhabi pode encomendar Su-57 russos, diz mídia
    Drone russo Okhotnik lançará pela 1ª vez mísseis contra alvos aéreos reais em 2021
    Tags:
    Força Aeroespacial da Rússia, tecnologia militar, avião de ataque, F-35, caças de quinta geração
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar