04:26 22 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    O cruzador lança-mísseis norte-americano Bunker Hill da classe Ticonderoga.

    EUA não têm substituição adequada para seus navios de guerra mais poderosos

    © AP Photo/ pool
    Defesa
    URL curta
    7306310

    Dos restantes 22 cruzadores lança-mísseis da classe Ticonderoga, o Bunker Hill deverá ser desmantelado em 2019, e apesar de seus navios-gêmeos permanecerem em serviço até 2045, não há substituições para os navios mais velhos.

    O Bunker Hill, lançado em março de 1985, tem 172 metros de comprimento, 17 metros de largura e desce 10 metros quando está completamente carregado.

    Com capacidade de 340 marinheiros e 60 oficiais, o cruzador lançador de mísseis pode atingir uma velocidade de 38 milhas por hora (61 km por hora) sobre águas tranquilas.

    Após 33 anos de serviço, o Bunker Hill será um dos poucos navios da classe Ticonderoga a ser desmantelado. Os navios, também conhecidos como Ticos, originalmente deviam ter sido substituídos por navios avançados de alta tecnologia da classe CG(X). Mas, quando o comando da Marinha soube que um só navio custaria $3.5-$6 bilhões (R$ 11, 38 — 19,5 bilhões), cancelou o programa.

    Embora o último Tico deva ser retirado do serviço em 2045, os cruzadores restantes serão modernizados com equipamentos avançados, incluindo radares e sonares, lançadores aperfeiçoados e um sistema de intercepção de mísseis mais poderoso, que custa centenas de milhões de dólares, de acordo com o jornal Stripes.com.

    Entre as razões para o desmantelamento dos Ticos estão as despesas com as enormes tripulações e a infraestrutura obsoleta dos navios. Em comparação, os destroieres da classe Zumwalt recém-reduzida, que, apesar de serem navios grandes, usam robótica e software para cumprir missões semelhantes, possuem uma tripulação 50% menor do que a do Bunker Hill.

    No entanto, da frota de 32 navios da classe Zumwalt, destinada a substituir parcialmente os Ticos, apenas dois navios estão no mar e têm enfrentado problemas como falhas de alguns dos seus elogiados sistemas de armas e bloqueio de ambas as hélices, o que os obrigou a serem rebocados do Canal do Panamá.

    Com as despesas de manutenção a crescer, a frota de 32 Zumwalts foi finalmente reduzida e compreende agora apenas três destroieres, sendo uma substituição pouco eficiente da frota de Ticonderoga.

    Facebook

    Procure a página Sputnik Brasil no Facebook e descubra as notícias mais importantes. Curta e compartilhe com seus amigos. Ajude-nos a contar sobre o que os outros se calam!

    Mais:

    Submarino Kazan: o pior pesadelo da Marinha dos EUA
    Marinha russa possui recursos necessários para controlar a situação no oceano global
    Tags:
    cruzador, navio de guerra, USS Zumwalt, Ticonderoga, Marinha dos EUA, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik