03:22 22 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    Mundo vs. COVID-19 no final de julho de 2021 (25)
    0 334
    Nos siga no

    Cientistas nos EUA descobriram nova maneira de prever a gravidade da infecção pelo coronavírus a partir de amostras da nasofaringe.

    Para a realização do estudo, foram coletadas secreções da nasofaringe de 58 pacientes entre abril e setembro de 2020, no Centro Médico da Universidade do Mississipi (UMMC, na sigla em inglês), dos quais 35 estavam infectados com o SARS-CoV-2. Os resultados da pesquisa foram publicados na revista Cell.

    Utilizando as normas de classificação de severidade da COVID-19 da Organização Mundial de Saúde (OMS), os cientistas dividiram os pacientes em grupos com base no nível máximo de suporte respiratório necessário.

    De todas as amostras de COVID-19 e amostras-controle, os especialistas coletaram 32.871 genes entre 32.588 células, anotando 18 conjuntos correspondentes a diferentes tipos de identidade imune e epitelial.

    Os autores do estudo descobriram que as células epiteliais do nariz e da garganta sofrem grandes alterações quando infectadas pelo SARS-CoV-2. Por exemplo, em pacientes com gravidade leve e moderada da COVID-19, os genes responsáveis pela resposta antiviral, especialmente aqueles estimulados pelo interferon tipo I, foram ativados nessas células.

    Em pessoas com doença grave, a resposta antiviral foi reduzida por causa da fraca reação das células ao interferon. Nesses casos, suas secreções mostraram um excesso de macrófagos e outras células imunes, que reforçam as respostas inflamatórias. De acordo com um dos pesquisadores, José Ordovas-Montañez, uma resposta enfraquecida ao interferon, que ajuda a regular a atividade do sistema imune, torna as pessoas mais suscetíveis tanto aos coronavírus quanto a outras infecções.

    Deste modo, os cientistas procuram agora entender as causas desta reação, bem como perceber se o problema poderá ser combatido por sprays ou gotas nasais.

    Tema:
    Mundo vs. COVID-19 no final de julho de 2021 (25)

    Mais:

    OMS propõe à China realização de 'fase 2' das investigações sobre origens do coronavírus
    Reino Unido ajuda EUA a investigar teoria sobre coronavírus vazado de laboratório, diz jornal
    Cientistas descobrem novo coronavírus em morcegos no Reino Unido
    Tags:
    EUA, Mississipi, cientistas, COVID-19, medicina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar