09:33 11 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    Coronavírus no mundo no início de abril de 2021 (58)
    110
    Nos siga no

    A eficácia da vacina da Pfizer/BioNTech contra o novo coronavírus é de 91,3% após seis meses de estudo, enquanto em novembro do ano passado foi anunciada uma eficácia mais alta, de 95%.

    Na quinta-feira (1º), as empresas Pfizer e BioNTech anunciaram resultados atualizados da análise de 927 casos confirmados com sintomas da COVID-19 e estudados durante a terceira fase da pesquisa, segundo comunicado de imprensa.

    "A análise de 927 casos sintomáticos confirmados da COVID-19 [...] mostra que BNT162b2 é altamente eficaz com 91,3% de eficácia observada da vacina contra a COVID-19, medida de sete dias a seis meses após a segunda dose", de acordo com o comunicado.

    Além disso, a vacina mostra sua eficácia contra a cepa dominante na África do Sul, persistindo a proteção até seis meses depois de injeção da segunda dose da vacina, o que dá confiança na eficácia geral do imunizante da Pfizer/BioNTech, afirmou o presidente da Pfizer, Albert Bourla.

    "Estes dados confirmam a eficácia favorável e o perfil de segurança de nossa vacina e nos permitem enviar um Pedido de Licenciamento Biológico para a FDA [Administração de Alimentos e Medicamentos] dos EUA", declarou Bourla.

    Em novembro, foi revelado que a análise definitiva de ensaios clínicos da vacina contra a COVID-19 da empresa Pfizer/BioNTech mostrou eficácia da vacina de 95%.

    Tema:
    Coronavírus no mundo no início de abril de 2021 (58)

    Mais:

    Novo estudo dos EUA sobre Pfizer e Moderna leva a crer que Sputnik V é vacina mais eficaz do mundo
    Empresários de MG importaram vacinas da Pfizer às escondidas, denuncia revista
    União Europeia está tomando 'medidas urgentes' para desacreditar a Sputnik V, diz inteligência russa
    COVID-19: Brasil terá pouco mais da metade das vacinas previstas em abril, diz ministro
    Tags:
    eficácia, vírus, novo coronavírus, COVID-19, vacina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar