12:42 17 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    COVID-19 no mundo no final de março de 2021 (98)
    421
    Nos siga no

    Presidente da Pfizer quer vacinar adolescentes antes do início do próximo ano letivo, que nos EUA começa no segundo semestre de 2021. Testes em crianças menores de 12 anos também já foram iniciados.

    As farmacêuticas Pfizer e BioNTech afirmaram nesta quarta-feira (31) que a vacina contra a COVID-19 desenvolvida por elas é segura e eficaz e produziu respostas robustas de anticorpos em pessoas de 12 a 15 anos de idade.

    A Pfizer espera que a vacinação para essa faixa etária possa começar antes do próximo ano letivo, que nos EUA começa no segundo semestre de 2021, disse Albert Bourla, presidente e executivo-chefe da Pfizer, citado pela agência Reuters.

    A vacina contra a COVID-19 da Pfizer/BioNTech já está autorizada para uso em pessoas a partir dos 16 anos nos EUA e os resultados apresentados nesta quarta-feira (31) abrem caminho para que as farmacêuticas busquem autorização de uso de emergência nos EUA.

    Seringas contendo a vacina Pfizer/BioNTech contra a COVID-19 em Basel, Suíça
    © REUTERS / Arnd Wiegmann
    Seringas contendo a vacina Pfizer/BioNTech contra a COVID-19 em Basel, Suíça

    Novo estudo

    O novo estudo oferece a primeira evidência de como a vacina também funcionará em adolescentes em idade escolar.

    Cerca de 2.260 adolescentes, de 12 a 15 anos, participaram do ensaio clínico e houve 18 casos de COVID-19 no grupo que recebeu a injeção de placebo e nenhum no grupo que recebeu a vacina, resultando em 100% de eficácia na prevenção de COVID-19, afirmaram as empresas no comunicado.

    Ainda de acordo com as farmacêuticas, a vacina foi bem tolerada, com efeitos colaterais semelhantes aos observados entre aqueles com idade entre 16 e 25 anos. Embora não tenha sido comunicado quais foram os efeitos colaterais, os efeitos colaterais do ensaio em adultos geralmente foram leves a moderados e incluíram dor no local da injeção, dores de cabeça, febre e fadiga.

    Bourla disse que as farmacêuticas planejam solicitar a autorização de emergência nos EUA "nas próximas semanas e para outros reguladores ao redor do mundo, com a esperança de começar a vacinar essa faixa etária antes do início do próximo ano letivo".

    Na semana passada, a Pfizer e a BioNTech deram as primeiras doses da vacina contra a COVID-19 em crianças mais novas, que irão eventualmente resultar em inoculantes para crianças com apenas 6 meses de idade.

    Tema:
    COVID-19 no mundo no final de março de 2021 (98)

    Mais:

    Brasil tem 3.668 mortes por COVID-19 e bate novo recorde em 24 horas
    Rússia registra 1ª vacina mundial contra COVID-19 para animais (VÍDEO)
    Estudo: 7 em cada 10 hospitalizados por COVID-19 mantêm sequelas 5 meses após alta
    Quais são as consequências da perda de olfato após COVID-19? Otorrinolaringologista russo explica
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar