18:39 18 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    Coronavírus no mundo em meados de janeiro de 2021 (81)
    0 60
    Nos siga no

    Cientistas russos descreveram o caso de uma paciente, no organismo da qual o SARS-CoV-2 passou por 18 mutações, informa o jornal Izvestia, citando a pré-impressão do estudo.

    A pré-impressão do estudo, publicada no site Virological.org, revela que as mutações do vírus foram encontradas em uma mulher, de 47 anos de idade, com linfoma de estágio IV. Ela contraiu o vírus em abril de 2020, foi regularmente testada à COVID-19 e teve resultados positivos até 9 de setembro.

    Como variante inicial, os cientistas consideraram o genoma do vírus no esfregaço de um paciente, pelo qual, supostamente, a mulher foi infectada. Comparando os resultados, os especialistas concluíram que o vírus adquiriu 18 novas mutações, incluindo duas mutações da proteína S, idênticas às mutações descobertas em visons dinamarqueses.

    O professor de genômica e bioinformática da Universidade Federal de Sibéria (Rússia) e da Universidade de Gottingen (Alemanha) Konstantin Krutovsky notou que as mutações coincidem parcialmente com as que foram observadas previamente na evolução do vírus em outros pacientes com imunidade suprimida, bem como as da cepa britânica.

    "Mas foi precisamente neste estudo russo que pela primeira vez se demonstrou de maneira convincente que a aquisição de grande número de mutações é um resultado da longa presença do SARS-CoV-2 no mesmo organismo", ressaltou o professor.

    Entretanto, ele notou que ainda é cedo para tirar conclusões sobre a velocidade de transmissão de nova cepa "russa", uma vez que só foi descrito um caso.

    Recentemente, o Reino Unido anunciou a descoberta de uma nova mutação do SARS-CoV-2. Segundo dados preliminares, a nova cepa é mais contagiosa, mas ainda não é referido um aumento de letalidade. Antes, autoridades da África do Sul e do Brasil declararam o surgimento de novas cepas nos seus países.

    Tema:
    Coronavírus no mundo em meados de janeiro de 2021 (81)

    Mais:

    Após proibir voos do Reino Unido, Rússia detecta 1º caso de nova cepa da COVID-19
    Como deveria ser a vacina para resistir às mutações do coronavírus? Cientistas sugerem resposta
    Será preciso refazer vacina contra COVID-19 por causa de mutações? Epidemiologista responde
    Tags:
    mutação, novo coronavírus, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar