21:58 30 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    Coronavírus no mundo no início de setembro (48)
    162
    Nos siga no

    Tecnologia inovadora é utilizada para criar produtos que podem ajudar a conter a propagação do vírus, como máscaras, pulseiras e adesivos que detectam rápida e facilmente o aumento da temperatura.

    Uma empresa têxtil espanhola desenvolveu uma máscara inovadora que muda de cor caso a temperatura corporal atinja cerca de 37,5 ºC, e tem uma filtração bacteriana de 98%, o que ajuda a detectar pessoas com COVID-19, reporta a agência de notícias EFE.

    O tecido da máscara foi patenteado pela empresa Colorprint Fashion, sediada em Muro d'Alcoi, Espanha, e a tecnologia já foi homologada pelo Instituto Tecnológico Têxtil (AITEX, na sigla em espanhol), que certificou a durabilidade e a eficácia do produto na prevenção do vírus SARS-CoV-2.

    "Com o conhecimento e a tecnologia para desenvolver produtos têxteis inovadores e funcionais e, perante esta situação, não podíamos ficar de braços cruzados. Era hora de apresentar soluções", comenta o fundador e gerente da Colorprint, Rafael Torregrosa.

    A empresa não vai apenas produzir máscaras, vai utilizar a tecnologia para criar outros itens capazes de detectar rapidamente o aumento da temperatura, como pulseiras ou adesivos.

    Torregrosa afirma que o material "está tendo uma ótima recepção" e espera que os produtos "facilitem o trabalho dos profissionais, além de ajudar a detectar possíveis infecções e impedir daí a propagação do vírus".

    Tema:
    Coronavírus no mundo no início de setembro (48)

    Mais:

    Pequim dispensa uso de máscaras após recuo nos casos de COVID-19
    Paris multa 123 pessoas por não usarem máscara em protesto contra distanciamento social
    Roma tem protesto contra máscaras e vacinas com cerca de 1.000 pessoas
    7 de Setembro: Bolsonaro desfila sem máscara rodeado de crianças
    Tags:
    Espanha, novo coronavírus, COVID-19, máscara
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar