05:51 28 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    Coronavírus no mundo no início de agosto (51)
    3291
    Nos siga no

    Aleksandr Gintsburg, diretor do Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya, da Rússia, comentou relatos sobre recomendações no tratamento contra a COVID-19.

    Atualmente, apenas os anticorpos podem aliviar o estado de um paciente com coronavírus, eles são injetados por via intravenosa, o resto é como "um cataplasma para um morto", disse Gintsburg.

    Anteriormente, houve relatos na mídia de que o estado de pacientes com coronavírus poderia ser aliviado por uma alta concentração da enzima ACE2, que pode ser encontrada em vinhos, amendoins, pistache e cacau.

    "O estado do paciente, posso dizer honestamente, pode atualmente ser aliviado apenas por anticorpos, respectivamente, de um certo tipo para este vírus, nada mais. E tudo o resto é, por assim dizer […] como cataplasma para um morto", disse.

    Segundo Gintsburg, trata-se de anticorpos na forma concentrada – plasma ou medicamento – de anticorpos monoclonais obtidos para certas estruturas superficiais da COVID-19.

    O epidemiologista russo explicou que a vacina funciona profilaticamente, enquanto os anticorpos atuam terapeuticamente, ou seja, quando a pessoa já está doente.

    Aleksandr Gintsburg, diretor do Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya da Rússia
    © Sputnik / Ramil Sitdikov
    Aleksandr Gintsburg, diretor do Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya da Rússia

    "Isto é, quando uma pessoa está doente, em vez de comer nozes ou amendoins […] é melhor ela ser injetada com anticorpos preparados para, assim, bloquear o vírus", explicou, acrescentando que eles hoje são administrados apenas por via intravenosa.

    Tema:
    Coronavírus no mundo no início de agosto (51)

    Mais:

    Centro Gamaleya, desenvolvedor de vacina russa, explica como funciona e se há riscos para o paciente
    Vacina contra COVID-19 começa a ser testada em humanos na Rússia (VÍDEO)
    Vacina russa poderá proteger pessoas da COVID-19 durante mais de 2 anos, diz fabricante
    Tags:
    anticorpos, pandemia, vacina, novo coronavírus, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar