14:22 14 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    Situação do mundo com COVID-19 em meados de junho (50)
    5140
    Nos siga no

    Os testes continuarão durante aproximadamente um mês e meio e a vacinação será realizada em duas etapas, no dia zero e no dia 21.

    O Ministério da Defesa russo e o Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya iniciaram os testes em humanos de uma vacina contra a COVID-19.

    "Em um futuro próximo, depois de completar um isolamento de duas semanas, o primeiro grupo de voluntários será vacinado. O objetivo principal é verificar a segurança e a tolerância dos componentes da vacina", comunicou o Ministério da Defesa.

    Anteriormente, o Ministério da Saúde da Rússia emitiu uma permissão para que fossem realizados os testes clínicos e concordou com os parâmetros quantitativos e qualitativos para uma amostra de voluntários.

    No início de junho, o departamento militar russo informou que, para os testes clínicos, haviam sido selecionados dois grupos de voluntários, um formado por militares e outro por civis. De acordo com o ministério, o primeiro grupo é composto por 50 pessoas, sendo dez delas profissionais da saúde.

    Na terça-feira (16), o diretor do Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya, Aleksandr Gintsburg, observou que os testes clínicos da vacina continuarão durante aproximadamente um mês e meio.

    Os voluntários permanecerão no hospital durante 28 dias e a vacinação será realizada em duas etapas: no dia zero e no dia 21.

    Tema:
    Situação do mundo com COVID-19 em meados de junho (50)

    Mais:

    Cientistas apontam locais que seriam 'bombas-relógio' de patógenos, incluindo coronavírus
    Pequim está em 'modo de emergência' após surto de coronavírus em mercado atacadista
    Coronavírus matou 43.332 pessoas no Brasil, diz Ministério da Saúde
    Tags:
    Rússia, novo coronavírus, COVID-19, vacinação, vacina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar