15:30 08 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    1100
    Nos siga no

    Cientistas estudaram diversos corpos celestes e chegaram a conclusão que o gelo e possível processo de formação do satélite de Júpiter o tornam semelhante a nosso planeta.

    Europa, satélite de Júpiter, pode ser semelhante o suficiente à Terra para albergar vida extraterrestre, teorizam cientistas da NASA em um estudo apresentado na Conferência de Goldschmidt de 2020.

    As observações realizadas no corpo celeste têm demonstrado a existência de camadas de gelo espessas que devem albergar oceanos líquidos, sendo observadas plumas de vapor d'água.

    É teorizado que o gelo da Terra se criou em forma levemente ácida, com altas concentrações de dióxido de carbono, sulfato e cálcio. A equipe, que trabalhou no Laboratório de Propulsão a Jato no estado norte-americano de Califórnia, segundo o portal EurekAlert, procurou descobrir como se formou a água no Europa, e chegou à conclusão que há semelhanças, escreve o portal Science Alert. O estudo ainda não foi revisto pelos pares.

    "Fomos capazes de modelar a composição e propriedades físicas do núcleo, camada de silicato e oceano [do satélite]", explicou Melwani Daswani, um dos coautores da pesquisa.

    Segundo o pesquisador, ao contrário do que se acreditava antes, o oceano poderia ser bastante sulfúrico, mas as simulações da NASA, em conjunto com dados do Telescópio Espacial Hubble, mostram cloreto na superfície do Europa, sugerindo que a água muito provavelmente se tornou rica em cloreto.

    "Em outras palavras, sua composição se tornou mais parecida com a dos oceanos na Terra. Acreditamos que este oceano pode ser bastante habitável para a vida."

    Os pesquisadores continuam procurando mais fatores que sejam propícios à existência de vida no planeta, incluindo atividade vulcânica.

    "Europa é uma de nossas melhores chances de encontrar vida em nosso Sistema Solar. A missão Europa Clipper da NASA será lançada nos próximos anos [data planejada em 2025], e por isso nosso trabalho visa preparar a missão, que investigará a habitabilidade de Europa", disse Melwani Daswani.

    Além disso, os astrofísicos se interessam por processos nos satélites Encélado e Titã de Saturno, bem como em Ganimedes de Júpiter, mas os corpos celestes carecem de estudos suficientes para concluir que podem conter vida.

    A sonda JUICE da Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês) deverá também ser lançada em 2022 para estudar o Europa, relata o portal Space Flight Now. Ambas as naves espaciais devem demorar anos a chegar a seu objetivo.

    Mais:

    NASA mostra 'terreno caótico' na superfície gelada de lua de Júpiter (FOTOS)
    Misterioso satélite de Júpiter poderia abrigar criaturas marinhas alienígenas, revelam cientistas
    Sonda espacial Juno capta FOTOS de coluna vulcânica em lua de Júpiter
    Tags:
    Titã, Encélado, Agência Espacial Europeia (ESA), Laboratório de Propulsão a Jato (JPL), Laboratório de Propulsão a Jato da NASA, Califórnia, EUA, Terra, NASA, Júpiter
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar