08:11 23 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    561
    Nos siga no

    Ainda que não haja muita, pesquisadores da NASA confirmaram suas suspeitas anteriores sobre o corpo celeste.

    Uma equipe da NASA liderada por pesquisadores do Centro de Voo Espacial Goddard, em Greenbelt, Maryland, descobriu vapor de água suficiente sendo liberado do satélite de Júpiter, Europa, suficiente para encher uma piscina olímpica em poucos minutos, de acordo com um artigo publicado na segunda-feira (18), na revista Nature Astronomy.

    "Embora ainda não tenhamos detectado diretamente água líquida, encontramos algo quase tão bom: água em forma de vapor", relatou em declarações o pesquisador principal e cientista planetário da NASA Lucas Paganini.

    Há muitos anos que se suspeita a existência de água na superfície de Europa, e estas observações recentes parecem confirmar a teoria.

    A lua de Júpiter, Europa
    © NASA . JPL
    A lua de Júpiter, Europa

    Desapontamentos?

    Apesar de tudo, a quantidade parece ser menor do que a esperada.

    Os cientistas apenas avistaram vapor de água em uma das 17 observações da lua desde o Observatório W. M. Keck no Havaí, EUA, que usa um espectrógrafo para perscrutar a luz infravermelha que os outros planetas liberam ou absorvem.

    "Sugerimos que a libertação de vapor de água na Europa ocorra em níveis inferiores aos anteriormente estimados, com apenas raros eventos localizados de atividade mais forte", escreveu Paganini.

    Pesquisas anteriores e futuras

    A próxima missão Europa Clipper da NASA provavelmente fornecerá mais informações sobre o vapor de água acima da superfície da lua de Júpiter. A nave vai realizar 45 voos rasantes com um conjunto de câmeras, espectrômetros e um radar para investigar a espessura do escudo gelado de Europa.

    Mais de duas décadas atrás, a nave espacial Galileo da NASA encontrou evidências de um fluido eletricamente condutor na superfície de Europa. Há um ano, uma análise dos dados encontrou evidências de plumas maciças líquidas.

    "Nós realizamos verificações de segurança diligentes para remover possíveis contaminantes em observações do solo", disse o cientista planetário da instituição de Maryland sobre a descoberta. "Mas, eventualmente, teremos que nos aproximar de Europa para ver o que realmente está acontecendo", pontuou.

    A agência espacial norte-americana NASA considera Europa um dos alvos de maior prioridade na busca por vida extraterrestre.

    Mais:

    Próximo a Júpiter, cientistas encontram portal de entrada de cometas no Sistema Solar
    Tempestades em Júpiter afetam seus cinturões gasosos (FOTOS)
    Agência espacial europeia pretende cooperar com Rússia na exploração da Lua
    Tags:
    Júpiter, NASA, água, Lua
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar