18:47 18 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    180
    Nos siga no

    Na China foi descoberto um túmulo de 1.000 anos de idade de um casal com uma particularidade: uma pequena janela no meio da parede divisória para lhes permitir continuar "se vendo" na vida após a morte.

    Os dois corpos foram descobertos deitados no chão de ladrilho do túmulo, feito de tijolo. As suas cabeças estavam apoiadas em uma espécie de travesseiro de ladrilho.

    O arqueólogos desenterraram a sepultura no antigo cemitério Tangjiawan, na cidade de Ningxiang. Além da tumba foram encontrados vários objetos de cerâmica que se supõe tenham sido colocados durante o período da dinastia Song do Norte (960 a 1127 d.C.). Após a descoberta do túmulo, os esqueletos foram retirados, escreve o tabloide britânico Daily Mail.

    ​Sepultura de casal da dinastia Song do Norte se torna viral na mídia social da chinesa.

    Yang Ningbo, arqueólogo-chefe, disse que a inclusão do buraco na parede, ou "ponte de fadas" é rara em antigos túmulos chineses. De acordo com uma crença antiga, a janela permitiria que o casal se conectasse novamente na vida após a morte.

    Vestígios de carvão encontrados perto da sepultura permitem saber a idade dos esqueletos e a data de construção do túmulo com mais precisão, através da datação por radiocarbono.

    Os poucos objetos descobertos sugerem que se trata de pessoas comuns, que tinham apenas itens básicos. Contudo, o fato de que eles terem sido enterrados em um túmulo de pedra indica que poderiam ter alguma riqueza.

    Mais:

    Arqueólogos descobrem no Egito caverna com pinturas rupestres inigualáveis (FOTOS)
    Revelados ingredientes da misteriosa substância preta usada para cobrir múmias no Egito (FOTOS)
    Achada múmia de 3.600 anos enterrada com miçangas no Egito (FOTOS)
    Tags:
    sepulturas, túmulo, China, arqueólogo, artefatos, sítio arqueológico
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar