04:25 02 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 30
    Nos siga no

    Astrônomos usaram dados do telescópio espacial TESS, publicando um GIF da explosão de poeira, gelo e gases do cometa 46P/Wirtanen durante sua aproximação ao Sol.

    Essa foi a primeira vez que a humanidade conseguiu imagens tão nítidas de um evento desse tipo.

    "Esta é a observação mais completa e detalhada até hoje da formação e dissipação da explosão em um cometa ocorrendo naturalmente", disse a NASA em um comunicado.

    O pequeno corpo celeste teve seu momento de maior aproximação à Terra em dezembro de 2018, quando passou a 11,5 milhões de quilômetros de distância. Contudo, a explosão começou em 26 de setembro do mesmo ano, dissipando-se durante 20 dias seguidos.

    ​1) O telescópio TESS da NASA capturou um evento explosivo no pequeno cometa 46P da família Júpiter, em 26 de setembro de 2018. O artigo da NASA é datado de 4 de dezembro de 2019:

    Segundo estimativas aproximadas dos cientistas da Universidade de Maryland (EUA), o fenômeno expulsou cerca de um milhão de quilos de material, criando uma cratera de cerca de 20 metros em sua superfície.

    "Como o TESS obtinha imagens detalhadas e compostas a cada 30 minutos, a equipe conseguiu visualizar cada fase com detalhes minuciosos", afirmou a agência norte-americana.

    "Com 20 dias de imagens muito frequentes, pudemos avaliar facilmente as alterações de luminosidade", comentou o autor principal do estudo, Tony Farnham, do Departamento de Astronomia da universidade.

    Contribuição para a ciência

    Os pesquisadores também conseguiram detectar pela primeira vez o rastro do cometa, que, ao contrário da cauda, é um campo de detritos maiores que traça sua trajetória orbital enquanto se move ao redor do Sol. "Quando a Terra encontra o rastro de poeira de um cometa, temos chuvas de meteoros", explicou o coautor Michael Kelley.

    Em maio, descobriu-se que o cometa 46P/Wirtanen contém água "semelhante à de um oceano". Esta descoberta reforçou a ideia de que estes corpos gelados desempenharam um papel fundamental na chegada do líquido à Terra.

    Cometa C/2015 v2 Johnson (imagen referencial)
    Cometa C/2015 v2 Johnson (imagen referencial)

    Por razões ainda desconhecidas dos cientistas, muitos cometas ocasionalmente experimentam explosões espontâneas. O estudo do processo desse fenômeno pode ajudar a compreender melhor as propriedades desses corpos.

    Os resultados das observações dos astrônomos foram publicados na Astrophysical Journal Letters.

    Mais:

    Astrônomos tiram FOTO de cometa 'fantasma' indo em direção à Terra
    Próximo a Júpiter, cientistas encontram portal de entrada de cometas no Sistema Solar
    Telescópio Hubble capta 1º cometa interestelar confirmado em VÍDEOS
    Tags:
    explosão, telescópio, NASA, cometa
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar